Banco do Brasil e Caixa são acionados e emprestam R$ 6,5 bilhões à Petrobras

0
754

Após conseguir a ajuda do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do Bradesco, além da decisão de vender plataformas, a Petrobras anuncia já ter conseguido equacionar sua necessidade de financiamento para 2015, a poucos dias de entregar o balanço do ano passado, atrasado desde 30 de março. As operações fechadas somam R$ 18,7 bilhões.

Com isso, a empresa afasta, definitivamente, o risco de chegar ao fim do ano com o caixa no limite mínimo de $10 bilhões, como previu em março, antes de realizar operações de crédito.

Do Banco do Brasil, de onde vieram o atual presidente e diretor financeiro da Petrobras, respectivamente Aldemir Bendine e Ivan Monteiro, chegou o desembolso mais imediato, de R$ 4,5 bilhões.

Além disso, a estatal aprovou dois limites de financiamento, que, segundo a estatal, ficarão como “reserva”. Um deles foi obtido com a Caixa, de R$ 2 bilhões, e o outro, com o Bradesco, no valor de R$ 3 bilhões, ambos com prazo de cinco anos.

A estatal também vai vender plataformas, no valor total de $3 bilhões (R$ 9,2 bilhões), em acordo de cooperação com o banco britânico Standard Chartered. O contrato permitirá que a Petrobras readquira as unidades depois de dez anos.

Em março, a empresa já tinha conseguido empréstimo de $3,5 bilhões (R$ 10,7 bilhões) com o Banco de Desenvolvimento da China.