Band TV investe alto na Fórmula Indy em São Paulo

0
501

Emissora pretende gastar até 30 milhões de dólares na transmissão

O final de semana de 28 e 29 de abril será especial para a Rede Bandeirantes, que leva ao ar um de seus maiores investimentos do ano, a etapa de São Paulo da Fórmula Indy. Com gastos estimados em cerca de R$ 60 milhões com o evento, a emissora terá uma megaoperação de cobertura e contará provavelmente com uma dobradinha no comando da transmissão: Téo José e Luciano do Valle.

Antes disto, porém, haverá o GP de Long Beach, neste final de semana, em sua terceira etapa da temporada 2012. E o palco é um dos circuitos mais charmosos do planeta: o traçado urbano de Long Beach, na Califórnia, com seus 3.166 metros e extensão.

O brasileiro Helio Castroneves, da Penske, luta para defender sua liderança no campeonato após a vitória em St. Petesburg, na abertura do campeonato, e do terceiro lugar em Barber. Com 86 pontos, o brasileiro é seguido de perto por Scott Dixon, da Ganassi, com 84. Will Power (Penske) com 77, James Hinchcliffe (Andretti) com 60 e Simon Pagenaud (Schmidt-Hamilton) com 58 fecham os cinco primeiros da tabela.

A grande novidade para a terceira etapa do campeonato é a regra dos pit stops sob bandeira amarela, especialmente na área de boxes o pit lane para reduzir o tempo gasto durante as bandeiras amarelas.

O pit lane permanecerá aberto durante os momentos de atenção em todo o circuito, mas os pilotos retardatários serão recolocados no fim do pelotão antes da relargada, orientados a se dirigirem aos pits em velocidade reduzida.

O principal objetivo é dar uma relargada mais justa, sem atrapalhar a briga pela liderança, e diminuir o tráfego na área dos pits. Os boxes têm sido historicamente fechados durante as bandeiras amarelas para não somente manter a ordem do pelotão, mas para também controlar melhor a entrada dos carros antes da abertura dos boxes. Por isso, há um tráfego enorme quando os 26 carros entram ao mesmo tempo destacou o presidente de competições da IndyCar, Beaux Barfield. Segundo ele, a medida evita uma volta extra sob bandeira amarela, reduzindo o tempo de paralização durante as provas.