Banda de rock de Goiás emplaca músicas em rádios dos Estados Unidos e Europa

Álbum intitulado “High Speed” foi lançado no dia 7 de janeiro com todas as músicas em inglês

0
965
Banda de rock Insanidade (Foto: Lucas Tamandaré/Arquivo pessoal)
Banda de rock Insanidade (Foto: Lucas Tamandaré/Arquivo pessoal)

DA REDAÇÃO – Com pouco menos de dois anos de estrada, a banda de rock “Insanidade” conseguiu emplacar suas canções em rádios do Brasil, Estados Unidos e países da Europa. Moradores de Catalão, na região sudeste de Goiás, eles comemoram o sucesso.

“As maiores rádios de punk do mundo estão tocando nossas músicas. Confesso que, desde que o álbum foi lançado, eu não parei um minuto. Recebo ligações de todos os lugares do mundo. Nossas músicas já tocaram em mais de 50 países”, diz o vocalista Lucas Tamandaré, de 34 anos, ao site G1.

Além de Lucas, a banda é composta pelo guitarrista Éder Elias, de 37 anos, o baixista Ricardo Silva, de 38, e o baterista Wisner Heavy, 34. Os quatro se conheceram em 2019, em uma casa de shows da cidade goiana.

“Sempre curti rock e acabei me mudando para Catalão por conta de uma empresa que tenho na cidade. Em uma noite pela cidade, acabei conhecendo os meninos, mostrei as músicas que havia composto e decidimos nos unir”, conta Lucas.

O último álbum da banda, intitulado “High Speed”, com todas as músicas em inglês, foi lançado no dia 7 de janeiro. Em um período de pandemia, onde shows estão suspensos pelo país, Lucas conta que a chave para o sucesso foi buscar a divulgação por meio da internet.

“Nós começamos a estruturar a banda em outubro de 2019. Quando finalmente começamos a receber os convites para os shows, veio a pandemia e tudo parou. Achamos que passaria logo, mas até hoje estamos com as medidas de distanciamento. Então, eu entendi que tinha que fazer algo para levar nossas músicas para o público”, disse.

Lucas conta que ficou um mês pesquisando e procurando pelas rádios no exterior, para, em seguida, enviar as músicas do grupo. Com feedback positivo, os convites não pararam de chegar e as canções começaram a ser ouvidas no mundo todo.

“Já recebemos convites para fazermos shows na América Latina quando tudo voltar ao normal. Também já iniciamos conversas para tocar em festivais aqui no Brasil”, disse.