Bank of America recupera mansão onde brasileiro ‘morava’ em Boca Raton

0
995

André Barbosa pode ter que responder na Justiça por ter morado sem pagar em um imóvel que não lhe pertence

O Bank of America, verdadeiro dono da mansão de $2,5 milhões em Boca Raton, ocupada desde dezembro pelo brasileiro André Barbosa, retomou o imóvel quinta-feira (7) com ajuda da polícia. O brasileiro de 23 anos não estava no local. A polícia disse à imprensa que não havia mandado de prisão contra Barbosa, mas que ele deve responder na justiça por ter “morado” no palacete sem pagar.

Durante cumprimento de despejo, a polícia encontrou apenas objetos pessoais, mas nada de anormal na estrutura da residência. Com ajuda de chaveiros, o Bank of America garantiu que todas as portas e janelas da mansão fossem lacradas.

Vizinhos e curiosos foram até o local no momento que a polícia e representantes do banco chegaram, por volta da uma da tarde, na tentativa de ver Barbosa. Desde que o assunto se tornou público, a figura do brasileiro tem sido alvo de muita curiosidade. Segundo os vizinhos, ele quase não saía de casa e quando o fazia usava a madrugada para evitar o contato com as pessoas.

Os vizinhos milionários estavam irritados com a presença dele e queriam sua saída imediatamente. Barbosa recebeu a intimação de ordem de despejo no dia 30 de janeiro e especulava-se que pudesse continuar “tomando conta” da casa por outras três ou seis semanas, tempo em que, normalmente, a justiça necessita para finalizar todas as etapas de despejo. Nesse caso, envolvendo um banco e uma mansão milionária, durou apenas nove dias.

Visita

Uma equipe de TV local esteve na mansão no início da semana e não constatou nenhuma depredação ou queixas dos vizinhos sobre barulhos. No entanto, a notoriedade de Barbosa quebrou a calmaria do bairro nobre. Aproveitando a presença das câmeras alguns foram bater à porta da mansão gritando “cai for a”. Outra moradora da mesma rua tinha contratado até um segurança particular para se sentir segura, mesmo nunca ter tido nenhum contato com André.

A equipe de jornalistas que entrou na mansão encontrou, naquele dia, duas mulheres com cabelos cobertos (como as mulçumanas) na cozinha. Elas falavam outra língua (não o português ou inglês) e ficaram muito incomodadas ao ver a câmera de TV.

A mansão de cinco quartos e piscina, avaliada em $2.5 milhões, estava abandonada por 18 meses. Em dezembro, na semana do Natal, os vizinhos notaram a movimentação na casa e desde então Andre Barbosa, que gosta de ser chamado de “Loki Boy”, o deus nórdico da malandragem, e chama sua casa de Templo de Kamisamar, tem vivido no local sem pagar aluguel.

Barbosa usou uma lei estadual “adverse possession”, parecida com a lei brasileira do usucapião, para mudar-se para a propriedade abandonada. Pelo texto, se o morador permanecer na propriedade por sete anos e pagar os impostos ele terá direito a reivindicar o título de posse. O imposto 2013 da mansão em Boca Raton (o IPTU no Brasil) está avaliado em $39 mil.

Este é o bem mais valioso a ser pego usando a “adverse possession” no condado de Palm Beach. A notoriedade do caso já preocupa o governo e pode levar o estado da Flórida a fazer algumas mudanças na legislação.