Boxeador Michael Oliveira quer enfrentar Omar Chávez

0
675

Brasileiro não está intimidado e foi a público anunciar que está se preparando para enfrentar campeão mexicano

O brasileiro Michael Oliveira, supermeio-médio

O brasileiro Michael Oliveira, supermeio-médio, e o mexicano Omar Chávez devem enfrentar-se pela primeira vez ainda este ano, provavelmente no dia 12 de outubro. O pugilista, radicado em Miami, organizou uma coletiva com a imprensa no último dia 23 de julho para declarar “que está pronto” para Chávez. Apesar do contrato da luta ainda não ter sido assinado, Oliveira garante que a luta deve acontecer, somente o local não foi determinado. Em princípio, deve ser em Las Vegas ou até mesmo em Miami. Seu promotor, Carlos Oliveira (seu pai), disse que vai tentar trazer a luta para a Flórida, mais perto da grande comunidade brasileira, mas, para isso, depende da cooperação de Chávez.

Durante o encontro com jornalistas, a equipe de Oliveira apresentou um vídeo em que o pai de Omar Chávez, o ex-campeão em três divisões do boxe mundial, Julio Cesar Chavez, apresentou desculpas por seu filho não estar presente na coletiva e afirmou que espera com ansiedade pela oportunidade da luta. “Essa vai ser uma grande luta. Infelizmente ainda estou convalescendo depois de problemas de saúde e por isso não pudemos ir”, garantiu o ex-boxeador.

Se o encontro no ringue entre Michael Oliveira e Omar Chavez realmente acontecer, o brasileiro terá à sua frente um boxeador com mais experiência. O mexicano tem 30 lutas e duas derrotas, enquanto o paulista Michael Oliveira, contabiliza 21 lutas e uma derrota.

Durante a coletiva, Michael trouxe, além da família, seu treinador, o cubano Orlando Cullar, equipe médica e assessores. Mostrando estar à vontade com as críticas, ele afirmou que está no esporte por prazer e não por dinheiro. “Eu tenho dinheiro. Meu avô deixou para mim, por isso não precisaria entrar em um ringue e me arriscar. Eu faço pelo esporte, porque gosto”, afirmou bem à vontade após ser apresentado pelo seu pai e assessores como um esportista que merece o respeito da comunidade brasileira.

Oliveira tem estado em boa posição no ranking mundial com suas últimas lutas. Ele tem quatro vitórias consecutivas desde que perdeu sua única luta para ninguém menos que o ex-campeão Acelino Popó Freitas, em junho do ano passado. A luta foi ganha por nocaute, mas Oliveira garante que aprendeu a lição e não pretende repetir o resultado. Seu sucesso dos últimos meses colocou o brasileiro como sexto pelo Conselho Mundial de Boxe e em sétimo lugar pela Associação Mundial de Boxe. Para sua próxima apresentação, Oliveira acredita que não estará enfrentando apenas o mexicano Chavez, mas também toda a dinastia da família. “Somos irmãos latinos, mas quando eu entrar no ringue somente um sairá vitorioso, eu”, disse em tom decisivo.

Os assessores de Oliveira não economizam no investimento quanto à imagem de Michael Oliveira. Além apresentá-lo como o “Rocky Brasileiro”, uma alusão ao filme Rocky estrelado por Sylvester Stallone, seus assessores também mostram Oliveira como um playboy que tem seus carros luxuosos e estilo para ser o novo ídolo nos corações dos brasileiros. “Ele tem carisma. Não está no boxe para sair da pobreza, é um orgulho para Miami”, disse o chefe de sua assessoria, o americano Bob Trieger.