Brasil define seu futuro na repescagem da Copa Davis

0
530

Confrontos contra a Índia começaram antes dos jogadores entrarem na quadra de tênis em Chennai

O clima está tenso para o início do confronto entre Brasil e Índia pela repescagem da Copa Davis, que levará o vencedor de volta à elite do tênis, ou seja, ao Grupo Mundial. Jogadores e comissões técnicas dos dois países trocaram farpas durante toda a semana, depois que a equipe brasileira exigiu tratamento especial aos seus jogadores, especialmente no tocante às condições de higiene e qualidade da água no país da Ásia Meridional. A Confederação Brasileira de Tênis (CBT) levou até garrafas de água mineral para fazer higiene bucal.

O fato não repercutiu bem entre os indianos e o tenista local Mahesh Bhupathi rebateu de pronto os comentários dos adversários: “A nossa água é segura para escovar os dentes. Mas eu também teria medo se tivesse que ir ao Brasil”, alfinetou o atleta, que deverá ser a maior barreira para que o Brasil volte à primeira divisão do tênis mundial.

Thomaz Bellucci

Mas do nosso lado está Thomaz Bellucci, que tem obtido os melhores resultados entre os oito que participam do confronto. Apesar de refutar a condição de favorito, ele acredita qye seu jogo será decisivo nos dois jogos que disputará em Chennai. “Acho que com a experiência que tenho obtido nos últimos torneios, sempre jogando contra bons tenistas, mais bem ranqueados, amadureci muito em quadra”, disse Bellucci, que em julho chegou ao 21º lugar no ranking.

Ele é a maior esperança brasileira na luta para voltar à elite na Copa Davis depois de seis anos. Nos últimos quatro anos, a equipe brasileira jogou a repescagem, como agora, mas acabou derrotada. “Temos tudo para fazer diferente desta vez. A motivação é grande”, disse o tenista.

Nesta sexta, Bellucci enfrenta Rohan Bopanna e Ricardo Mello jogará contra Somdev Devvarman. No sábado, o jogo de duplas, com Marcelo Melo e Bruno Soares desafiando o favoritismo de Leander Paes e Mahesh Bhupathi. No domingo, os duelos de sexta se invertem e, finalmente, saberemos se o Brasil voltará à primeira divisão em 2011. Se perder, continuará a disputar a chamada “Zona Americana”.