Brasil ‘descansa’, atropela EUA com time misto e fica perto das semifinais

0
678

Seleção canarinho encerra participação na fase classificatória enfrentando a Itália no domingo

Sem sustos e com o setor ofensivo inspirado novamente. Na segunda partida do Brasil na Copa das Confederações, nesta quinta-feira, Dunga se deu ao luxo de poupar alguns titulares diante dos Estados Unidos e não se arrependeu. A seleção venceu por 3 a 0 sem grandes dificuldades, se impôs e deixou o estádio Loftus Versfeld, em Pretoria, muito perto da vaga nas semifinais.

Felipe Melo, Robinho e Maicon fizeram os gols brasileiros e a festa dos torcedores sul-africanos, “armados” com suas insistentes e barulhentas vuvuzelas (cornetas locais). Apesar de não estar lotado, o estádio ficou colorido de amarelo, em outro claro apoio dos anfitriões ao time pentacampeão.

O triunfo levou o Brasil aos seis pontos no grupo B, com 100% de aproveitamento.

Diferentemente do que aconteceu contra os egípcios na estreia, o Brasil não sofreu para chegar à vitória. Bem posicionado em campo, foi pouco ameaçado pelos norte-americanos. Na frente, contou com a perigosa bola aérea e os rápidos contra-ataques (principalmente com Kaká) para dar trabalho ao goleiro Howard. Júlio César, por sua vez, quase não foi acionado.

Como previsto, o Brasil começou o jogo com novidades: Maicon, Miranda, André Santos e Ramires ganharam chance entre os titulares. Mesmo com tantas alterações, a equipe não sofreu com a falta de entrosamento e logo se impôs diante dos norte-americanos. Em 19min, a equipe de Dunga já vencia por 2 a 0.

No primeiro gol, a bola parada voltou a ser bem utilizada. Maicon levantou e Felipe Melo cabeceou para a rede. Superior, a seleção não teve dificuldades para ampliar. Aos 19min, Ramires recebeu de Kaká, puxou contra-ataque e rolou para Robinho. O atacante teve só o trabalho de empurrar para o fundo do gol.

Em desvantagem, os Estados Unidos não conseguiram reagir no primeiro tempo. A falta de criatividade na armação e a boa atuação da defesa brasileira deixaram as principais ações longe de Júlio César. Na etapa inicial, os norte-americanos deram apenas dois chutes, ambos para fora.

Depois do intervalo, o time do técnico Bob Bradley esboçou uma postura um pouco mais ofensiva, mas a iniciativa ficou só na intenção. A expulsão de Kljestan nos minutos iniciais deixou o cenário que já era favorável ao Brasil ainda mais fácil.

E para eliminar de vez qualquer possibilidade de susto, Maicon anotou o terceiro gol aos 16min, após bela triangulação com Kaká e Ramires. Assim como os demais reservas testados, o meio-campista do Cruzeiro teve boa atuação e deixou impressão positiva em sua primeira oportunidade como titular. No final, Dunga ainda deu descanso a Lúcio, Kaká e Luís Fabiano.

A definição final do grupo B acontece no próximo domingo. Às 15h30 (de Brasília), o Brasil faz o clássico contra a Itália novamente no Loftus Versfeld, em Pretoria. No mesmo horário, Egito e Estados Unidos se enfrentam em Rustenburgo, no estádio Royal