Brasil deve crescer apenas 1,8% em 2009

0
452

Previsão é do Fundo Monetário Internacional, que espera média mundial em torno de 0,5%

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu sua previsão de crescimento para a economia mundial para 0,5% em 2009, a mais mais fraca desde a Segunda Grande Guerra, em 1945. A estimativa anterior feita pela organização era de que a expansão global seria de 2,2%.
A perspectiva do FMI para o Brasil – como de outras economias emergentes – é de um crescimento acima da média: 1,8% em 2009 e 3,5% em 2010. A situação será pior nas economias avançadas, como os Estados Unidos e a zona do euro, com previsão de retração de 1,6% e 2%, respectivamente.

“Uma recuperação econômica sustentável não será possível até que a funcionalidade do setor financeiro seja restaurada e o mercado de crédito seja desobstruído”, diz o documento elaborado pelo Fundo. A previsão é de que a economia mundial deve passar por uma recuperação gradual a partir de 2010, mas os especialistas do FMI advertem que o panorama ainda é bastante incerto, e o ritmo da recuperação vai depender de ações políticas fortes.

Desemprego em baixa

A taxa de desemprego em seis regiões metropolitanas brasileiras recuou em 2008, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Em 2007, o índice médio foi de 15,5%, enquanto que no ano passado caiu para 14,1%. Esta é a menor taxa média anual desde 1999.

Outra boa notícia é que no último mês de dezembro, o número de desempregados nas seis principais regiões metropolitanas do país (Belo Horizonte, São Paulo, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife e Salvador) caiu para 12,7%, ante 13% em novembro e 14,2% em dezembro de 2007. Estima-se que 2,5 milhões de pessoas estão sem emprego nestas regiões, portanto 248 mil a menos do que no mesmo período de 2007.