Brasil é 7º em ranking de clima econômico, diz pesquisa

0
466

Ambiente de negócios na América Latina cresceu no primeiro trimestre

O Brasil assume a sétima posição, em uma lista de 12 países no continente com o melhor clima econômico. A informação consta da primeira edição da Sondagem Econômica da América Latina, feita em parceria pelo Institute for Economic Research at the University of Munich (ou Instituto IFO) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Até o trimestre encerrado em abril deste ano, o ambiente econômico na América Latina manteve-se favorável aos negócios, segundo a primeira edição da sondagem. De acordo com o levantamento, é o sétimo trimestre consecutivo em que o ambiente do continente manteve-se favorável, nesse setor.

Segundo as instituições, o Brasil apresenta um Índice de Clima Econômico (ICE) médio de 6 pontos, com seis países em sua frente: Uruguai, com 8,5 pontos; Peru, com 7,6 pontos; Costa Rica; com 7 pontos; Chile, com 6,7 pontos; Argentina, com 6,5 pontos; e Colômbia, com 6,4 pontos.

Os países que ocupam posição inferior à do Brasil no ranking, pela ordem, são: Venezuela, com 5,3 pontos; México com 5,2 pontos; Bolívia, com 5,2 pontos também; Paraguai com 4,4 pontos; e Equador, também com 4,4 pontos.

Segundo o levantamento, os principais países apresentaram, em abril de 2007, índices de clima econômico superiores aos respectivos níveis médios históricos, sinalizando aquecimento econômico em toda a região. Uruguai (8,5 pontos), Peru (7,8), Costa Rica (7,4) e Argentina (7) são destaques no relatório, de acordo com as instituições. “O resultado foi influenciado pela avaliação favorável em relação à situação econômica atual feita pela maioria dos especialistas, principalmente em países como o Uruguai (9 pontos), Peru (9), Colômbia (7,9) e Argentina (7,7). As expectativas para os próximos seis meses são menos homogêneas entre os países da região. Os países mais otimistas são o Uruguai (8), Costa Rica (7,7), Peru (6,5) e Chile (6,4). Os mais pessimistas são o Equador (2,7) Colômbia (4,4) e Venezuela (4,5)”, detalharam, em comunicado.

Índice
Ainda segundo o relatório, o Índice de Clima Econômico Ifo/FGV (ICE) alcançou 5,8 pontos, 0,6 ponto acima da média dos últimos 10 anos, ficando próximo ao nível máximo de 6,0 pontos, alcançado ao início de 2005. Em comunicado, as instituições explicam que o ICE é construído como uma combinação de dois índices que medem a situação econômica atual e as expectativas para os próximos seis meses. “O Índice da Situação Atual atingiu 6,1 em abril, o maior nível registrado nos últimos 10 anos. Já o índice de Expectativas de 5,5 pontos situa-se um pouco abaixo da média histórica de 5,6 pontos”, detalharam, no comunicado.

Segundo avaliação das instituições, o resultado indica que os especialistas econômicos da região interpretam o momento econômico atual de forma favorável, “mas se mostram cautelosos quando chamados a avaliar as perspectivas de continuidade da tendência de melhora ao longo de 2007”, de acordo com o relatório.

As duas instituições esclarecem que a Sondagem Econômica da América Latina serve ao monitoramento e antecipação de tendências econômicas, com base em informações prestadas trimestralmente por especialistas nas economias de seus respectivos países. A pesquisa é aplicada com a mesma metodologia – simultaneamente – em todos os países da região. Em abril de 2007, foram consultados 110 especialistas em 15 países.

A pesquisa é aplicada com a mesma metodologia – simultaneamente – em todos os países da região. Em abril de 2007, foram consultados 110 especialistas em 15 países.