Brasil lidera ranking de assassinatos de homossexuais

0
533

Da Redação com Terra – O Brasil é o país onde mais ocorrem assassinatos de travestis e transexuais em todo o mundo. A estatística foi divulgada pela ONG internacional Transgender Europe justamente na semana que o país comemorou o Dia da Visibilidade Trans. Entre janeiro de 2008 e abril de 2013, foram 486 mortes, quatro vezes a mais que no México, segundo país com mais casos registrados.

O relatório é baseado no número de casos reportados, o que indica que ele pode ser ainda maior e não só no Brasil, mas em todo mundo, já que países como Irã e Sudão não possuem dados disponíveis sobre este tipo de crime.

Para a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), o elevado número de mortes no País reflete a falta de uma lei que puna crimes de ódio contra travestis e homossexuais. O que poderia ajudar, nesse caso, acredita a ONG seria incentivar o público LGBTT a denunciar a situação do Brasil nas Cortes Internacionais para pressioanr os políticos em busca de uma legislação que puna crime de homofobia.

De acordo com a ONG brasileira, somente em 2013 foram 121 casos de travestis assassinados em todo o Brasil.

Assassinatos em série

Na quarta-feira (29), quando o Brasil comemorou o Dia da Visibilidade Trans a polícia do Amazonas prendeu dois irmãos suspeitos de assassinar 10 homossexuais. Jucenildo Soares Damascena, 18 anos, e Ricardo Damascena Cunha, 19 anos, foram presos em cumprimento a um mandado de prisão pela morte do estudante de jornalismo Steve Host da Costa Barros, 36 anos, assassinado no dia 29 de novembro de 2013, na zona leste de Manaus. Com eles a polícia apreendeu vários objetos da vítima.

Os irmãos Damascena surpreenderam os policiais a confessarem os crimes e demonstrarem frieza na tática usada para matar as vítimas: estrangulamento. Segundo depoimento dos próprios suspeitos, outros nove homossexuais foram assassinados, sendo que Jucenildo teria participado de três casos.