Brasil por inteiro

0
962

Leila Cordeiro*

Decidi que é  a última vez que escrevo  sobre essa histeria política que tomou conta das redes sociais. Este, na verdade, é um desabafo, porque nunca vi tanta sandice escrita ao mesmo tempo. Muitos repassam posts completamente sem noção e preconceituosos, mostrando  um total desconhecimento da história política do país.

Não quero aqui ser dona da verdade apenas alertar aos incautos, aos inocentes úteis,  que de repente acham que viraram cientistas políticos, sobre os exageros que estão cometendo, muitos influenciados pela onda de descontentamento que se instaurou diante da perda da eleição, para aqueles que queriam Aécio Neves presidente.

Tudo bem protestar, lamentar, comentar, mas é necessário muito cuidado com as palavras proferidas irresponsavelmente. Elas  podem levar ao preconceito e à discriminação, num caminho sem volta. Perder não é fácil em nenhuma circunstância, desde um simples jogo de baralho à uma eleição, ninguém gosta de se sentir um perdedor, mas não é por isso que vai sair por aí distribuindo bofetões orais a torto e a direito. As redes sociais se transformaram num “lixão virtual”, numa terra sem lei, onde as pessoas dizem o que bem entendem, ofendendo e desrespeitando quem pensa diferente.

Não é mais hora de fazer provocações com posts ridículos, fotomontagens humilhantes. Não é assim que se impõem ideias e sim apresentando argumentos e fazendo valer suas reivindicações. Oposição séria e responsável é assim, cobra com propriedade, sem despejar ódio e ressentimento. Não com um  comportamento infantil de criancinha mimada que bate o pé por não ter conseguido seu brinquedinho tão sonhado.

E onde estavam esse manifestantes de butique enquanto o governo implantava seus programas de ajuda aos carentes? Viajando ao exterior, abarrotando suas bolsas e malas de compras, investindo em apartamentos de luxo em Miami, que oferecem preços convidativos aos brasileiros endinheirados que, com certeza, não fazem uso do Bolsa Família.

Quer ganhar nas urnas? Então lute, imponha seus conceitos, seja uma oposição séria, mas não venha com esse papo furado de deixar o Brasil, impeachment, golpe e outras armas reacionárias como estas.

Pelo que se vê aqui no facebook a população “flutuante” nos EUA vai aumentar, já que tem gente pensando em “apagar a luz” no Brasil  para viver em país alheio como se viver fora da sua terra natal fosse um mar de rosas e resolvesse todos os problemas.

Enfim, quem sou eu para dizer o que deve ou não ser feito. Como usuária do Facebook, quero apenas deixar uma mensagem a todos àqueles que estão se aproveitando de um espaço democrático para postagens rancorosas e sem conteúdo. Chega de baixarias, cuidado com os oportunistas fascistas doidos para encher a cabeça dos inocentes com minhocas inexistentes.

É hora de conciliação, debates e discussões, mas tudo em nível ordeiro e de interesse para o país, quem está pregando a desordem e o destempero não merece crédito. Esses são aqueles que adoram ver o circo pegar fogo pois só pensam em seus próprios interesses.

Perder não é o fim, ao contrário, pode ser o começo para se construir um país melhor, com oportunidades iguais para todos, independe de raça, sexo ou orientação política. É em busca dessa igualdade que devemos focar nossa energia, e não desperdiçá-la com picuinhas desnecessárias.

Viva a democracia brasileira. Quem pensa com responsabilidade sobre o destino do Brasil só pode pregar a pacificação, a conciliação e não o ódio, a mágoa, o ressentimento e a irresponsabilidade de querer dividir um país.

*Leila Cordeiro é carioca e jornalista. Formada pela faculdade de Comunicação Helio Alonso (FACHA), começou como repórter na TV Aratu, em Salvador. Trabalhou depois nas TVs Globo, Manchete, SBT e CBS Telenotícias Brasil como repórter e âncora. Tem dois livros de poesias publicados: “Pedaços de mim” e “De mala e vida na mão”, ambos pela Editora Record. Junto com Eliakim Araujo, edita o site de notícias Olharnews.com.