Brasileira busca notícias do filho desaparecido no sul da Flórida

0
4008

Catarinense mora no Brasil e está há três meses sem qualquer notícia do filho. Seus netos já estão num abrigo para crianças em Pompano Beach por causa do pai sumido

Ana Paula Franco

DIVULGAÇÃO
Guilherme de Menezes Garcia, de 25 anos

Guilherme de Menezes Garcia, de 25 anos

Há 90 dias, a rotina da brasileira de Joinville (SC) Carla Menezes é buscar notícias do filho Guilherme de Menezes Garcia, de 25 anos, nas redes sociais, com amigos, ex-patrões ou qualquer pessoa que possa dar algum tipo de informação. Numa agonia que ela descreve como “sem fim”, Carla está desesperada e com medo de o filho estar morto. “Minha suspeita é que ele tenha se envolvido com drogas, já que desde outubro ele mudou seu comportamento. Ninguém sabe de nada. A esposa dele tem problemas com drogas e eles já perderam, inclusive, a guarda dos filhos que são meus netos. Estou desesperada por qualquer tipo de notícia”, disse, aos prantos, a mãe à reportagem do AcheiUSA.

Carla Menezes comunicou o caso ao Consulado-Geral do Brasil em Miami e afirma que está recebendo todo o apoio. “Um dos representantes do consulado está me ajudando a verificar onde ele está, mas não obteve sucesso. Só sabemos que ele não foi preso. O consulado também está monitorando junto ao abrigo onde estão meus netos, como eles estão sendo tratados”, disse.

A história de Carla Menezes nos Estados Unidos começou em 2005 quando ela veio para Pompano Beach e trouxe Guilherme e,ntão com 18 anos. Carla ficou aqui até 2008, quando a morte de uma irmã fez com que ela voltasse às pressas ao Brasil e deixasse Guilherme aqui. “Pensei que conseguiria voltar para os EUA, mas me mandaram de volta porque fiquei um período ilegalmente. Agora tenho que cumprir um castigo de dez anos. Deixei meu filho em Deerfield com toda estrutura, casa, carro e dinheiro para se manter. Ele trabalhava e resolveu ficar”, conta.

Passado um tempo, Guilherme conheceu a atual esposa, uma americana com quem teve dois filhos, hoje com quatro anos e um ano, respectivamente. Ele não voltou mais para o Brasil. “A mulher do Guilherme sempre foi problemática, eles brigavam muito e ele reclamava comigo que ela maltratava os filhos. Acho que ela é viciada em drogas e a minha suspeita é de que ele também seja”, afirma Carla. Ela conta que antes de outubro o filho sempre conversava com Carla via skype, enviava fotos, conversava sobre a vida. “Guilherme era muito trabalhador, sustentava a casa, o chefe dele o adorava. Era um menino amoroso. Não consigo entender o que aconteceu”, disse.

Carla diz ainda que o filho foi preso em novembro por ter falsificado um cheque do ex-patrão. “Ele foi preso dentro do banco. Penso que ele já estava envolvido com drogas”, disse. A partir daí, Guilherme raramente deu notícias, até que parou por completo.

Futuro dos netos
Outra grande preocupação de Carla é que os dois netos sejam adotados por outras famílias, já que estão em um abrigo do governo. “Quase morro por dentro quando penso que eles podem ser adotados. Não tenho o que fazer porque não posso viajar para buscá-los e nem posso. Não falo inglês. Agora o consulado está me ajudando e alguém esteve lá para verificar como estão as crianças. Peço a Deus todos os dias para que eles estejam bem”.

Carla Menezes tem outras três filhas e três netos no Brasil e é neles que ela busca forças para enfrentar esse momento complicado. “Minhas filhas e meus netos aqui do Brasil me dão força para continuar. Eu imploro para que qualquer pessoa que tenha notícia do Guilherme faça contato”.

Quem tiver qualquer tipo de informação sobre o paradeiro de Guilherme pode entrar em contato com a redação do AcheiUSA pelo telefone (954) 570-7568 ou pelo email reporter@acheiusa.com