Brasileira é eleita Miss Cadeirante da Flórida 2013

0
803

Camile Araújo venceu o concurso realizado no primeiro fim de semana em abril

Camile Araújo venceu o concurso realizado no primeiro fim de semana em abril
Camile com a faixa e a coroa de Miss Cadeirante 2013

Joselina Reis

“Nunca imaginei ser miss, nem quando andava”, a frase da brasileira Camile Araújo, de 37 anos, marca a surpresa com que ela recebeu a coroa de Miss Cadeirante Flórida 2013 (Miss Wheelchair Florida 2013 nome em inglês). O evento aconteceu em Saint Petersburg (FL) entre os dias cinco e sete de abril. Nove concorrentes disputaram a faixa e o direito de representar o estado no Miss Wheelchair USA a ser realizado no Texas em julho deste ano.

Até lá, Camile, que era policial no condado de Miami Dade e há seis anos sofreu um acidente de trânsito com o carro da corporação que dirigia e ficou paraplégica, deve (como toda miss) fazer aparições publicas em todo o Estado representando o concurso. No entanto, ao contrário dos concursos convencionais de miss, Camile tem uma bandeira específica para levantar, a dos direitos das pessoas com deficiência física.

O primeiro evento da agenda da Miss Camile será o Disability Expo 2013 & Family Information Fórum que acontece no Miami-Dade County Fair & Expo (10901 Southwest 24th Street, Miami). A entrada para o evento é franca. O evento vai mostrar as últimas novidades em acessibilidade para pessoas com necessidades especiais.

O Miss Cadeirante Flórida 2013 é realizado anualmente desde 1972, mas é a primeira vez que uma brasileira leva a tiara e coroa. A organização do evento também comemorou o número de participantes, nove. Em anos anteriores a divulgação e as inscrições não eram tão grandes como agora. Durante sua participação em eventos, Camile também deve explicar como o concurso acontece e tentar sensibilizar o público para ajudar com patrocínio e tentar convencer outras cadeirantes a participar.

Miss Camile

Camile Araújo venceu o concurso realizado no primeiro fim de semana em abrilCamile conta, ainda emocionada, que o momento marcante da disputa não foi o desfile em trajes como os outros concursos, mas ouvir as histórias de cada concorrente. “Eu me senti uma privilegiada quando ouvi aquelas histórias de vida”, lembra. Muitas das concorrentes nunca tiveram a oportunidade de andar e nem tanto apoio familiar como a brasileira que levou pais, amigos, marido e a filha de dois anos como torcida.

Aliás esse apoio, segundo ela, tem sido fundamental para que a cadeira não torne um limite na sua vida. Desde que ficou paraplégica, Camile não tem parado para se lamentar e continua trabalhando dando palestras orientando outras pessoas a como vencer obstáculos e seguir em frente.

A brasileira, que já participou de vários treinamentos, inclusive na Europa, prepara agora sua participação em um segundo livro de auto-ajuda. Para saber mais sobre a trajetória de Camile, comprar seu livro, e ou colaborar na campanha para levá-la ao Miss Wheelchair USA no Texas é só acessar o website www.camilearaujo.com. A miss brasileira precisa de $ 1.890 e as passagens para viajar em julho e representar o Estado no evento.