Brasileira é roubada e arrastada por carro em Miami

0
416

Maria Beatriz Senna Misk teve a bolsa contendo dinheiro, passaporte e documentos roubada e sofreu graves ferimentos

Antonio Tozzi

A mineira Maria Beatriz Senna Misk estava retornando para Belo Horizonte junto com sua filha nesta terça-feira (10) à noite para retomar suas atividades na capital de Minas Gerais. Entretanto, um incidente desagradável atrapalhou seus planos e a deixou presa nos Estados Unidos mais tempo do que ela desejaria.

Após ter passado um tempo na casa da irmã em Miami, Beatriz resolveu fazer compras de alguns produtos no Costco de North Miami Beach. Por volta de uma hora da tarde desta terça-feira, ela e a irmã haviam terminado a compra e estavam retornando para o carro quando ouviram um barulho.”Foi tudo muito rápido, quando percebi, tinha um rapaz branco usando blusa branca que pegou minha bolsa e saiu correndo. Eu e minha irmã gritamos ‘Ladrão’, mas ninguém veio nos ajudar”, contou Beatriz.

Ignorando os gritos das mulheres, o rapaz entrou no banco do passageiro de um carro dirigido por uma moça. Desesperada, Beatriz colocou-se à frente do carro e começou a implorar para que eles pelo menos lhe devolvessem o passaporte, pois precisava voltar ao Brasil no voo marcado para a noite de terça-feira.

Eles ficaram parados, e Beatriz tentou algo mais ousado. Enfiou a mão dentro do carro para tentar reaver a bolsa. O rapaz então fechou a janela e deu ordem para a garota arrancar com o carro. Aí, ocorreu o pior, com a brasileira sendo arrastada por cerca de 30 metros, até que eles a soltassem e fugissem com sua bolsa.

O caso foi tão rápido que nem deu tempo para ela ou sua irmã anotar o número da placa ou mesmo descrever as características do veículo. Uma imagem, porém, ficou gravada nitidamente na memória de Beatriz, o rosto da moça. “Normalmente, as pessoas associam ladrões com pessoas de má aparência, mas este não era o caso da garota. Ninguém diz que ela é uma ladra. É uma moça de boa aparência, cabelos lisos”, comentou Beatriz.

Críticas ao pessoal do Costco

Depois disto, a polícia foi chamada e ela foi levada para o Aventura Hospital por uma equipe de paramédicos. A brasileira elogia o tratamento dado pelos servidores públicos. “Só tenho a agradecer a atenção dada pelo pessoal de emergências e pelo detetive, que tem se mostrado muito atencioso”, comentou.

Entretanto, Beatriz não ficou nem um pouco satisfeita com o descaso demonstrado pelo pessoal do Costco. Para começar, a loja não tem câmeras de monitoramento no estacionamento e os gerentes simplesmente ignoraram suas queixas sob o argumento de que as pessoas estão sujeitas a este tipo de problema em qualquer lugar do mundo. “Estou pensando em abrir um processo contra o Costco pela falta de apoio a uma consumidora que estava fazendo compras em uma das lojas da rede”, revelou a advogada.

Agora, ela continua na casa da irmã, aguardando o andamento das investigações policiais e recuperando-se dos ferimentos causados no momento em que foi arrastada, que a deixaram esfolada, e esperando a emissão de um novo passaporte.

Além das lesões e do passaporte, ela perdeu 950 dólares e todos seus cartões de crédito.”Pelo menos, já mandei suspender todos meus cartões”, finalizou Beatriz a fim de evitar ser vítima de saques indevidos.

O chefe de polícia de North Miami Beach, Tom Carney, criticou a atitude Maria Beatriz. “É bom para a comunidade estar ciente do que está acontecendo e tentar proteger sua bolsa. Infelizmente, ela se machucou porque ela tentou recuperá-la, e isso é algo que que não quero que as pessoas façam”.

Assustada, a filha de Beatriz comentou ter sido um pesadelo: “Pensávamos estar em um lugar seguro”.