Brasileira pede condenação do filho terrorista

0
898

Brian De Mulder se uniu ao grupo islâmico na Síria; julgamento começou na segunda-feira (20)

DA REDAÇÃO COM TERRA

A brasileira Rosana Rodrigues pediu à corte belga pela condenação do filho, Briande De Mulder, que nasceu na Bélgica, mas hoje é um dos integrantes do Estado Islâmico, um grupo terrorista na Síria. O julgamento do braso-belga recomeçou na segunda-feira (20) à revelia. Já que ele e outros acusados continuam na Síria onde tentam derrubar o governo do atual presidente Bashar Al Assad..

“Eu prefiro que meu filho seja condenado, prefiro todos os dias da minha vida ir na cadeia visitar meu filho, levar comida, pasta de dente, as coisas que ele necessitar, do que saber que meu filho é um terrorista e está agora na Síria”, afirmou Rosana Rodrigues em entrevista à BBC Brasil.

Se condenado, pode pegar até cinco anos de prisão por participar de atividades de um grupo terrorista e publicar ameaças de atentados na Bélgica, contra o ministro da Defesa, Pieter De Crem, e contra o líder político holandês Geert Wilders.

Mulder é um dos 46 acusados no que está sendo chamado de “o megaprocesso do jihad”, que analisa o papel da Sharia4Belgium no recrutamento de jihadistas belgas. O braso-belga participa do grupo desde 2013. Até o momento, segundo a ONU, mais de 200 mil pessoas morreram na guerra civil da Síria.

Mesmo esperando pela condenação do filho, a brasileira mostrou em corte argumentos provando que Brian foi criado como qualquer garoto e somente ‘se alistou’ no exército de terrosistas por influência do Fouad Belkacem, líder e antigo porta-voz de Sharia4Belgium. “Saí do meu país para criar meus filhos na Bélgica do meu jeito, para educar meus filhos para que fossem pra frente, pessoas de bem, que não fizessem mal aos outros, que não roubassem, usassem drogas. Foi pior”, lamenta Rosana.