Brasileira será protagonista de série americana

0
1772

Alice Braga é a primeira brasileira do mundo artístico a conseguir esse feito

Alice Braga é a primeira brasileira do mundo artístico a conseguir esse feito

DA REDAÇÃO (com Estadão) – Aos 32 anos, dez deles atuando também fora do país, Alice Braga alcançou o que a maioria das atrizes deseja: será a primeira brasileira a protagonizar uma série americana. Em agosto, começa a filmar Queen Of The South – a ser exibida pelo canal a cabo USA –, na qual interpretará uma mexicana que comanda um cartel de drogas. A jovem, que é sobrinha de Sonia Braga, já fez diversas participações em filmes americanos.

A empolgação de estrear como atriz principal em uma importante série da TV americana – fato que ela comenta pela primeira vez, numa entrevista à colunista Sonia Raci – não nasce só do desafio profissional. Ela sonhava com esse papel há sete anos, desde que leu o livro que deu origem à série – mas só agora os realizadores do sitcom bateram à sua porta com um convite.

O fato de a protagonista ser uma atriz latina, e não americana, se deve, diz ela, ao peso que tem hoje a comunidade latina do país. “Ela está mais forte do que nunca. E o mercado americano, não apenas o cinematográfico, está aberto a esse fenômeno”, afirmou na conversa por telefone, de Los Angeles.

O frisson dos tapetes vermelhos, a aura e a badalação que hoje envolvem a dramaturgia na TV americana e a projeção internacional que representam…nada disso faz a atriz tirar os pés do chão. “Meus pais me criaram no mundo real e me ensinaram o que era trabalhar com cinema”, observa a moça, cuja filmografia já soma mais de 20 títulos, além de quatro séries de TV.”Tapete vermelho é divertido, mas para mim é parte do trabalho”, resume.

Antes de começar a bateria de filmagens – que vai até agosto –, Alice desembarca no Brasil para lançar, no começo de junho, Muitos Homens Num Só, filme da diretora carioca Mini Kerti. Tem saudades do Brasil? “Morro de saudade! Nunca vou deixar de morar em São Paulo. É o meu lugar no mundo”, disse.

Ela conta como foi o processo para ser selecionada para a série. “Eu nunca tinha tido muito contato com séries de TV a cabo. A história me chegou por meio dos dois criadores, que montaram o piloto. Eles me escreveram perguntando se eu já conhecia o livro – A Rainha do Sul, do espanhol Arturo Pérez-Reverte – e falaram da personagem. Por coincidência, eu já conhecia. Conversamos, foi ótimo. E eles me convidaram, porque já me conheciam um pouco e pensaram que eu podia casar com essa personagem de uma forma verdadeira, forte. E aí foi superbacana, porque eu já tinha uma paixão pelo livro”, conta.