Brasileiras se unem para ajudar meninas pobres pelo mundo

0
915

Elas fazem bonecas de pano que já foram para a África e Haiti. A próxima encomenda é para o Brasi

Meninas de Niger

DA REDAÇÃO com Joselina Reis – Quando a brasileira Marilda Ribeiro viu as imagens divulgadas pelo projeto missionário Guerreiros de Deus sobre as meninas de Níger (África), o segundo país mais pobre do mundo, ela resolveu ajudar em alguma coisa. O primeiro investimento veio do próprio bolso, e há um ano, com ajuda de voluntárias, Marilda conseguiu formar um grupo de mulheres brasileiras em Lowell, Massachusetts, e juntas criaram as Bonecas Missionárias.

Bonecas Missionárias

Elas se reúnem quando podem e todas continuam em seus empregos como faxineiras e cabeleireiras. Mesmo assim, juntas elas planejam e desenvolvem os estilos de cada boneca. Quem ganhou com a iniciativa foram, até agora, 100 meninas no Haiti e 75 no Níger. A próxima leva das bonecas será levada para a Amazônia, no Brasil.

O grupo faz todo o trabalho com doações e recursos próprios. Quem quiser ajudar pode entrar em contato através da página do grupo no Facebook (www.facebook.com/boneca.missionaria) ou pelo email bonecasmissionaria@gmail.com. As voluntárias precisam de pano, linha, rendas, fitas, botões, poly fill (enchimento) e qualquer material de costura que possa ajudar na confecção das bonecas.

O trabalho delas vem sendo reconhecido, e junto com a confecção das bonecas para as meninas pobres o grupo também vêm recebendo encomendas particulares, e o dinheiro arrecadado é enviado para o projeto na África. Cada boneca custa entre $30 e $40. O grupo também quer incentivar a criação de outros núcleos de voluntários brasileiros nos EUA. Por enquanto, as brasileiras de Lowell são as únicas trabalhando em prol do projeto das bonecas.

Marilda, que é de Curitiba (PR), conta que ficou muito emocionada ao saber da pobreza em que as crianças do Níger vivem todos os dias. “Me tocou muito ver aquelas crianças tão sofridas, sem ter ao menos um único brinquedo para brincar.  Na hora me senti pequena e egoísta por gastar todo tempo e dinheiro que tenho comigo mesma, sem olhar para o lado. Nesse momento, lembrei das bonecas de pano que eu tinha quando criança, que eram as minhas prediletas. Então, fiz uma pesquisa na internet e procurei um curso para fazer as bonecas”, conta ela afirmando que o trabalho não pertence a nenhuma igreja. “Somos apenas discípulos e seguidores de Cristo”, disse.

O projeto missionário Guerreiros de Deus é comandado pelo ex-paquito Alexandre Canhoni. Há quase doze anos ele trocou o Brasil pelo segundo país mais pobre do mundo para trabalhar com crianças e adolescentes. Segundo entrevistas e o website do Guerreiros de Deus (www. www.guerreirosdedeus.com.br), o projeto cuida atualmente de quase duas mil crianças em nove vilas, oferecendo educação, acesso à saúde e esporte. Alexandre mantém 15 filhos Nigerinos adotados.