Brasileiro é condenado a cinco meses de prisão em Miami por e-mails falsos

0
497

Francisco Fernando Cruz enviou mensagens falsas com ameaças de bomba à polícia e à TAM em janeiro

Francisco Fernando CruzDA REDAÇÃO COM G1 – A mãe do sorocabano Francisco Fernando Cruz, 22 anos, Cláudia Cruz, informou à imprensa na quinta-feira (15) que o filho havia sido condenado a cinco meses de prisão por envio de e-mails falsos. Segundo ela, o comunicado foi feito por telefone pelo Consulado-Geral do Brasil em Miami. Cruz está preso em Miami desde o início de janeiro por enviar e-mails à polícia e à TAM sugerindo que haveria uma bomba em um voo da companhia com destino a Brasília, voo em que ele mesmo iria embarcar.

De acordo com Cláudia, o filho tinha ligado para o Brasil na quarta (14) para informar que o julgamento seria realizado no dia seguinte. Ele entrou em contato novamente após a decisão desta quinta e disse que estava consciente da punição. “Ele estava tranquilo e disse para eu não ficar preocupada. Ele sabe que errou e me falou que poderia ser pior”, diz a cabeleireira, que mora em Sorocaba (SP).

Inicialmente, especulava-se que o sorocabano seria enquadrado na lei anti-terrorismo americana. Por sorte, ele foi julgado apenas por mensagens falsas.

O sorocabano foi preso no dia 9 de janeiro em Miami quando tentava embarcar no mesmo voo que teria a tal bomba. De acordo com a polícia americana, Francisco, que morava nos EUA há dois anos, havia enviado no dia 8 de janeiro um e-mail ao Departamento de Polícia de Miami (MDPD) e à TAM Linhas Aéreas alertando sobre a existência de uma bomba em um avião da empresa.

A mensagem dizia, em inglês, “voo não deve decolar. Marcado. Vai cair. Retaliação. Carga é perigosa. Estejam avisados”. O Departamento de Polícia de Miami rastreou a origem da mensagem e concluiu que ela foi enviada de um computador na Montclair State University, em Montclair, Nova Jersey.

A polícia teve acesso às imagens que mostram o terminal de computador usado para enviar a mensagem e através disso chegaram até o brasileiro. Na época, a assessoria da TAM Linhas Aéreas afirmou que investigou o caso, mas como nada foi encontrado no voo JJ8043, a aeronave decolou normalmente e no horário previsto.

ATUALIZAÇÃO E CORREÇÃO: O Itamaraty confirmou que o brasileiro Francisco Cruz foi condenado a 12 meses e um dia. A pena na prática será menor porque ele está preso desde janeiro e portanto já cumpriu parte dela.