Brasileiro preso por email com ameaça terrorista falso à TAM é transferido para Geórgia

0
851

Fernando CruzO jovem de Sorocaba (SP) Francisco Fernando Cruz, de 23 anos, que foi condenado pela Justiça norte-americana a 12 meses e um dia de prisão por enviar e-mails à polícia e à TAM Linhas Aéreas com ameaça de bomba em um avião da empresa foi transferido de presídio. A informação é da mãe do rapaz, Cláudia Cruz; ela disse ao portal de notícias G1 que foi informada da mudança por telefone pelo próprio filho, nesta quarta-feira (18). “Francisco estava preso em Miami e foi para algum presídio do estado da Georgia”, disse Cláudia.

“Meu filho disse que essa pode ser a última ligação dele. Ele não sabe como será, se vai conseguir falar comigo”, disse a mãe de Francisco. Segundo ela, a transferência foi feita porque seu filho já foi julgado. “Ele foi transferido de um presídio onde estão os pré-julgados para outro, onde ficam os condenados. Essa agora é a minha preocupação: onde estava, eu sabia como fazer e como falar com ele. Era só mandar dinheiro e ele ligava.”

Cláudia disse também que seu filho perdeu mais de 20 quilos desde janeiro, quando foi preso. “É difícil. A sensação que dá é de que começou tudo de novo. Parece que ele foi preso agora”, desabafa a mãe. A esperança é que Francisco consiga uma redução em sua pena por bom comportamento. “Ele disse que poderá deixar a prisão em novembro. Não vejo a hora de recebê-lo em casa”, completa. Sem redução de pena, Francisco deve deixar a prisão somente em janeiro de 2015.

Francisco foi preso no dia 9 de janeiro em Miami, nos Estados Unidos. Segundo o FBI, Francisco, que morava nos EUA há dois anos, havia enviado no dia 8 um e-mail ao Departamento de Polícia de Miami (MDPD) e à TAM Linhas Aéreas alertando sobre a existência de uma bomba em um avião da empresa.

A mensagem informava: “Flight must not take off. Targeted. It will go down. Retaliation. Cargo is dangerous. Be advised” (Voo não deve decolar. Marcado. Vai cair. Retaliação. Carga é perigosa. Estejam avisados). Segundo a polícia americana, o Departamento de Polícia de Miami rastreou a origem da mensagem e concluiu que ela foi enviada de um computador na Montclair State University, em Montclair, Nova Jersey.