Brasileiro que atropelou pedestre em Miami aceita acordo com Justiça americana

0
1382

O caso, que até então, estava sendo julgado como homicídio sem intenção de matar, foi reduzido para infração de trânsito com direção perigosa

João Paulo Escudero MauroJoão Paulo Escudero Mauro, de 21 anos, vai ter a carteira de motorista suspensa por dez anos, será obrigado a fazer serviço voluntário, fazer doações em dinheiro para uma instituição de caridade e, a pedido da família da vítima, visitar o local do acidente e olhar para as fotos da pessoa que ele matou. Essas foram as condições que a justiça americana impôs ao brasileiro que dirigia embriagado em janeiro de 2012 no momento que atropelou e matou o americano Russell Knudson, de 45 anos.

O acordo foi feito na manhã de segunda-feira (1) em Miami. O caso, que até então, estava sendo julgado como homicídio sem intenção de matar foi reduzido para infração de trânsito com direção perigosa. A mudança livrou o brasileiro de vários anos de cadeia.

Com o acordo vieram várias exigências que João Paulo Escudero terá que obedecer religiosamente. Para começar ele terá sua carteira suspensa por dez anos, além disso vai ter que prestar 100 horas de serviços comunitários. Outra exigência é que Escudero faça doações em dinheiro à entidade Mothers Against Drunk Driving (Mães Contra Motoristas Embriagados, nome em português) todos os anos no aniversário de Russell Knudson. O valor deve ser correspondente a idade da vítima teria se estivesse vivo.

Knudson morreu quando foi atingido pela Mercedes que Escudero dirigia em alta velocidade na Collins Avenue. De acordo com dados da polícia, o brasileiro dirigia a 60mph enquanto o limite era de 30mph e tinha ingerido álcool antes do acidente. Traços de cocaína também foram encontrados dentro do veículo.