Brasileiros estarão representados no projeto “Unindo Broward”

0
869

Scott Israel criou grupo de apoio aos residentes e brasileiros terão representante

Joselina Reis


Scott Israel lança o novo projeto em uma biblioteca de Fort Lauderdale

Na terça-feira (25), o sheriff de Broward, Scott Israel, fez o lançamento oficial do novo projeto comandado por sua administração – “Unindo Broward: Protegendo a Comunidade” – prometendo incluir um representante brasileiro no grupo de civis que tem como objetivo aproximar a polícia dos moradores. Até agora, esse grupo é formado por cinco pessoas, mas Israel afirmou que em no máximo noventa dias terá recursos suficientes para ampliar esse número para oito. “Com certeza, um deles será brasileiro”, disse o sheriff.

Na reunião, realizada na Biblioteca e Centro Cultural de Pesquisa Afro-americana, em Fort Lauderdale, o sheriff apresentou a proposta do grupo que é estreitar os laços entre as comunidades, principalmente os imigrantes, e a polícia. “Muitos têm medo da polícia. Nós queremos nos conectar com essas pessoas, nos comunicar no seu idioma e com isso aumentar a aceitação das diferenças”, explicou Israel.

O grupo (Outreach Time, em inglês) tem o papel de chegar onde a polícia não pode e, com isso, trazer à tona problemas que a comunidade está vivendo e propor soluções junto ao Departamento de Polícia de Broward (Broward Sheriff Office, em inglês). Um dos problemas que o sheriff quer solucionar, ou pelo menos diminuir, é o número de jovens que acabam presos ao cometer o primeiro delito.

Scott Israel lembrou que custa mais caro manter um jovem na prisão do que nos bancos escolares. E a passagem pela prisão pode no futuro diminuir consideravelmente as chances de se conseguir um bom emprego. “Já fizemos essa pesquisa, cerca de 94% dos jovens que conseguiram uma segunda chance não voltam a cometer crimes. Isso é bom para todos, para eles e para a comunidade”, enfatizou o sheriff.

“Os brasileiros são um exemplo dos que têm medo da polícia. Nem todos têm documentos para viver aqui”, comenta José Davila, pastor da Igreja Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul-Flórida (CEIZS), presente no evento.

Na sua opinião, a proposta do BSO é excelente e o grupo formando por civis pode dismistificar a ideia de que a polícia está sempre disposta a prender e deportar. “Esse trabalho vai ajudar a conscientizar o povo de que a polícia está aqui para proteger a gente, informar”, acredita o pastor que comanda a igreja em Deerfield Beach.

Scott Israel não deu detalhes de como será feita a escolha do brasileiro, mas afirmou que a participação dos brasileiros no grupo será celebrada. “Com certeza vamos precisar da comunidade brasileira. Vocês formam a quarta maior população de imigrantes em Broward”, afirmou. O condado de Broward possui 1.8 milhão de moradores.