Brasileiros poderão vir aos EUA sem visto

0
920

Especialistas acreditam que os brasileiros poderão ficar isentos de pegar vistos nos consulados

A cada dia crescem os rumores de que o governo dos Estados Unidos da América pode isentar alguns países da exigência de vistos para entrar no país. Na lista das nações beneficiadas, figura o Brasil. Algo que muitos especialistas acreditam possa vira a acontecer muito em breve.

Para saber mais sobre este assunto, o AcheiUSA entrevistou dois conceituados advogados americanos, de Washington, que estão participando ativamente deste processo, chamado internamente de US Visa Waiver. Marc Frey e Stepehn Heifetz são dois advogados com bastante experiência na área pública e trabalharam em diversos órgãos governamentais, inclusive no Departamento de Segurança Interna (DHS na sigla em inglês).

Heifetz explicou ser possível o governo americano isentar os brasileiros desta exigência. No entanto, é preciso atender a alguns critérios. De acordo com uma determinação do Congresso, apenas os países cujo índice de reprovação de vistos é igual ou inferior a 3% podem ser beneficiados com esta isenção.

Atualmente, porém, o Brasil assim como a Argentina e Chile, outros países que podem gozar deste benefício está com um percentual em torno de 5%, ou seja, acima do que reza a lei. Outro critério exigido é a confecção de um passaporte eletrônico com informações biomédicas do portador que facilite a identificação de seu titular.

Turista brasileiro gasta muito nos EUA

Pela proximidade do Brasil, a Flórida é o estado que vem impulsionando bastante pela suspensão da exigência dos vistos. Tanto que em sua visita a São Paulo para a Expo Florida 2011, o governador do estado Rick Scott voltou a pregar o fim desta exigência.

O objetivo é claro: atrair ainda mais turistas para o estado, uma vez que somente no ano passado cerca de 500 mil turistas brasileiros estiveram visitando a Flórida e injetaram cerca de $1 bilhão na economia local, que vem lutando para se recuperar.

E o Brasil não para de surpreender os americanos, sendo o país onde se registrou o maior aumento na concessão de vistos para os Estados Unidos nos últimos cinco anos, com uma alta de 234%, conforme informação divulgada pelo Departamento de Estado americano.
O consulado dos Estados Unidos em São Paulo é o que mais emite vistos no mundo e a assessoria de imprensa da representação diplomática no Brasil confirmou que mais de 194 mil vistos foram emitidos entre janeiro e julho deste ano.

De acordo com o Ministério do Turismo brasileiro, mais de 1,1 milhão de cidadãos visitaram os EUA em 2010 um aumento de 28% em relação ao ano anterior. Ou seja, o movimento de turistas estende-se a outros estados até mesmo no longinquo Vermont, segundo uma reportagem da revista Time, as estações de esqui estão procurando por brasileiros para melhor atender quem fala português e vai até lá para tomar aulas de esqui na neve.

Gasto compensa eliminação dos fees

Marc Fryer disse que os números dos turistas brasileiros são eloquentes. Ou seja, com estes valores gastos nos EUA, a eliminação dos pagamentos seria plenamente compensada. Os Departamentos de Comércio e de Turismo americano prevem que cerca de três milhões de brasileiros possam visitar o país em 2016. A suspensão desta exigência, com certeza, poderá acelerar o processo.

Os advogados admitem ser necessário uma modificação no critério para isenção de vistos. O governo da Flórida tem ajudado a educar os congressistas sobre a importância desta isenção para a economia local e também nacional, disse Fryer. Entendemos que estes números são bastante representativos para influenciar os parlamentares a reverem seus conceitos, acrescentou Heifetz.

Num momento em que a economia dos EUA enfrenta dificuldades e o desemprego atinge índices elevados, atrair mais turistas para o país é uma das maneiras mais rápidas e menos dispendiosas para aumentar a receita. Portanto, algo que pode ser feito apenas com a boa vontade de alguns políticos e burocratas.

Os advogados dissseram que o Departamento de Estado dos EUA já está vendo com bons olhos esta opção, claramente defendida pelos setores de comércio e turismo do governo. Os maiores obstáculos são o Congresso Nacional e o Departamento de Segurança Interna (DHS), admitem.

Eles fazem questão de frisar que o programa pretende contemplar somente vistos de curta permanência e não vistos para trabalho. A meta é trazer mais turistas e empresários para cá, a fim de incrementar ainda mais o relacionamento comercial entre os dois países, afirmaram os entrevistados.

Embora eles não tenham dito, é evidente que o DHS teme a vinda de brasileiros sem qualificação profissional para os EUA com a intenção de fixar residência aqui. Desnecessário dizer que esta seria uma péssima ideia. Em primeiro lugar, os controles do Serviço de Imigração do país estão bem mais severos; em segundo lugar, está praticamente impossível viver neste país como indocumentado; e, finalmente, os Estados Unidos passam por uma crise econômica, com alta taxa de desemprego. O que uma pessoa sem qualificação profissional que não domina o idioma viria fazer aqui?

Para finalizar, Fryer e Heifetz acreditam que a boa notícia para os brasileiros deve vir em breve. Quem também vai gostar muito disto são os funcionários da embaixada e dos consulados dos EUA no Brasil que terão bem menos trabalho para fazer.