Brasileiros são maioria dos turistas em Miami

0
918

Além de estarem em maior número do que em qualquer outra cidade americana, são os que mais gastam

DA REDAÇÃO, COM FOLHA DE SÃO PAULO – Quem anda pelas principais ruas de Miami Beach, como a Lincoln Road e a Ocean Drive, ou pelos outlets como Sawgrass e Dolphin Mall, já percebeu que o número de brasileiros se sobressai e já se acostumou a ouvir português por todos os lados. O que era uma suspeita foi confimado pelo presidente-executiva da Greater Miami Convention and Visitors Bureau (GMC&VB), William D. Talbert, que constatou que, em 2013, 51% dos turistas que foram a Miami eram brasileiros e nenhuma outra cidade americana pode dizer o mesmo.

Os números totais de visitação relativos a 2014 ainda não estão fechados, mas, a julgar pelas previsões, mesmo com a alta do dólar, essa percentagem deve até crescer, já que, no primeiro semestre, 424.065 brasileiros foram a Miami –aumento de 6% em relação a igual período de 2013, quando a Grande Miami recebeu, no ano, 756 mil turistas vindos do Brasil.

Segundo Talbert, em 2013 os turistas brasileiros, além de terem sido os mais numerosos, também foram os que mais gastaram.

Pela ordem, no primeiro semestre de 2014, os dez principais países que enviaram turistas para esse mercado foram Brasil, Canadá, Argentina, Colômbia, Alemanha, Venezuela, Inglaterra, Bahamas, França e Costa Rica, o que não difere muito do ranking apurado em 2013, quando, ao todo, a Grande Miami recebeu cerca de 3,6 milhões de visitantes estrangeiros.

Para efeito de comparação, o Brasil, de acordo com dados do Ministério do Turismo, ao todo recebeu um total de 5,7 milhões de turistas estrangeiros em 2013.

E, em 2014, ajudado pelo “efeito Copa do Mundo”, esse número deve chegar perto de totalizar a marca de 7 milhões de turistas internacionais, apenas duas vezes mais que a região de Miami.

“O Brasil tem estado entre os cinco primeiros mercados emissivos de turistas para a região de Miami ao longo de uma década. Isso se deve ao crescimento de sua economia e, também, ao crescente volume de negócios e de investimentos brasileiros na Grande Miami”, disse o especialista.

Para o presidente e presidente-executivo do GMC&VB, a conexão entre os brasileiros e Miami deve continuar a crescer em razão dos atrativos do destino. “Desde 2011, o Brasil se tornou o primeiro mercado para nós e, em 2013, os viajantes brasileiros, em média, dormiram 7,8 noites em quartos de hotéis em suas estadas na região.”

Ainda de acordo com Talbert, em 2013, o aeroporto internacional de Miami recebeu ao todo 40 milhões de passageiros, entre turistas americanos e estrangeiros, o que faz dele a segunda maior porta de entrada dos EUA.

Hoje, há 11 voos diretos e diários entre Miami e o Brasil operados pela American Airlines e pela TAM.

As cidades servidas por eles são São Paulo –os aeroportos de Guarulhos e de Viracopos (Campinas), este último, da American Airlines, recém-lançado– e também Rio, Brasília, Belo Horizonte, Manaus, Belém, Salvador, Recife, Fortaleza, Curitiba e Porto Alegre, num total de 112 voos semanais (uma oferta de cerca de 26.797 assentos por semana).

O porto de Miami também é considerado um dos mais movimentados e tem sido chamado de “capital dos cruzeiros do mundo”, ao embarcar anualmente 4 milhões de passageiros de cruzeiros marítimos. Mas, de acordo com as estatísticas oficiais, apenas 1,2% dos brasileiros que visitaram a Grande Miami em 2013 fizeram a partir de lá viagens de navio.