Brasileiros são presos em Pompano Beach por tráfico de drogas

0
1714

Ao todo 10 pessoas foram presas, sendo três brasileiros. A fiança deles pode chegar a quase $3 milhões


Francisco, Aline e Bruno Balbi continuam na prisão em Pompano Beach
enquanto outros envolvidos estão soltos

Joselina Reis

Três brasileiros foram presos acusados de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e formação de quadrilha em uma operação do Drug Enforcement Administration (DEA – Departamento de Combate as Drogas) em uma clínica médica em Pompano Beach. Francisco Carlos Balbi, 58 anos, Bruno Balbi, 29 anos e Aline Balbi Leca, 31 anos, foram presos na quinta-feira (16) depois que agentes disfarçados de clientes monitoraram a clínica, localizada no 750 East Sample Road esquina com N. Dixie Highway, por dois anos e puderem comprovar que os profissionais do local prescreviam remédios controlados em troca de dinheiro com ou sem receita médica.

Outras sete pessoas, incluindo médicos, também foram presos. São eles: Dr. Marcia Sills, Dr. Gabriel Sanchez, Dr. Mark Cukierman, Dr. Michael Fronstin e Steven August Edson foram presos na Clínica em Pompano Beach; Dr. Adeline Essian foi presa em Chicago; Dr. Khanh Van Kim Duong, em New York, e Dr. Thomas Rodenberg, no Tennessee. Desse grupo, apenas três ficaram presos durante o fim de semana, Sanchez, Cukierman e Edson. Suas fianças são, respectivamente, $110 mil, $ 270 mil e $ 6,7 milhões. Na quinta-feira (23) apenas Edson, proprietário da clínica, continuava no banco de dados online da prisão.

Francisco Carlos Balbi, que seria o ex-proprietários da clínica, está sendo acusado de 23 crimes entre eles crime organizado, falsidade ideológica, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Agentes do DEA encontraram na clínica, o que é proibido por lei, medicamentos como Oxydone, Methadone e Xanax. Os dois primeiros são usados para dor e o outro para controle da ansiedade. Todos são considerados drogas extremamente fortes, podendo causar dependência e até a morte se tomados em altas doses.

O governo federal e o estadual têm mantido linha dura contra clínicas de Pain Management (Controle de Dor). Há dois anos, a operação “Operation Pill Nation” tem fechado clínicas e levado à prisão médicos e funcionários ligados à prescrição, distribuição e venda de remédios controlados. Em casos de crimes envolvendo drogas, as fianças são milionárias.

Nos casos dos três brasileiros, dois estão em difícil situação. Para sair da cadeia e responder o processo em liberdade, Francisco Carlos Balbi precisa pagar $1,5 milhão; Bruno Balbi, acusado de 27 crimes, teria que desembolsar $1,1 milhão, e Aline Balbi Leca, $50 mil. A brasileira e Francisco Balbi estariam presos, segundo informação do Broward Sheriff Office (BSO), na cadeia Paul Rein Detention Facility, em Pompano Beach; enquanto Bruno está no Centro de Detenção Joseph V. Conte, também em Pompano Beach.

Informações divulgadas pelo DEA mostram que médicos da clínica prescreveram a agentes policiais disfarçados de pacientes, 55 receitas para medicamentos controlados sem a devida análise dos pacientes. O departamento estima que a clínica em Pompano Beach tenha faturado $1.8 milhão em 2010.

Previous articleOpinião: Cinema brasileiro toma
Next articleFuracões: todo cuidado é pouco
Fundado em outubro de 2000, o AcheiUSA Newspaper é um jornal semanal em português distribuído gratuitamente por centenas de estabelecimentos comerciais brasileiros, americanos e hispânicos, espalhados pelo estado da Flórida. Com notícias locais, imigração, cultura, agenda de eventos, cobertura social, negócios e a maior seção de anúncios classificados grátis em português fora do Brasil, o AcheiUSA é o mais completo e popular portal para os brasileiros vivendo nos Estados Unidos.