Brasileiros se queixam de malas violadas em viagens entre os EUA e o Brasil

0
5511

Malas saem de Miami com mercadorias e presentes e têm objetos furtados ao chegarem ao destino

ANA PAULA FRANCO

“Ocorrência

A brasileira Roberta Jordá vive na Flórida há mais de dez anos e foi visitar a família em São Paulo este mês. O voo saiu de Miami no dia 17 de janeiro com destino ao Aeroporto de Guarulhos em São Paulo. Qual não foi a surpresa de Roberta ao chegar na casa da família e abrir a mala, ela percebeu que uma bolsa da marca Michael Kors e uma carteira Hugo Boss não estavam na mala. O prejuízo de Roberta pode ser considerado pequeno perto do que viveu Flávia Figueiredo em junho deste ano. Num voo para Belo Horizonte, levaram até as cuecas de seu filho da mala. “Levaram vários objetos da mala do meu filho, até as cuecas, além de tênis e perfumes. Deixaram só as caixas”, disse.

De Ivelize Carvalho, que mora em Norte Miami Beach e estava indo para BH, também levaram da mala diversos objetos caros. Desde então ela não despacha nada de valor. “Minha bagagem foi extraviada, fiquei cinco dias sem mala. Roubaram cremes, perfume e minhas joias. Tive que pegar roupa emprestada”, contou. O prejuízo de Gisele Costa que estava indo para Vitória (ES) foi um notebook novinho, ainda na caixa que foi furtado. “Só deixaram a caixa para trás. A TAM não fez nada. Dei queixa no aeroporto e ficou por isso mesmo. O máximo que fizeram foi me enviarem uma mala de viagens como ‘brinde’. Eu devia ter feito um boletim de ocorrência”.

Os casos citados acima fazem coro a dezenas de outras reclamações de brasileiros que têm objetos furtados de bagagens em aeroportos do Brasil (veja abaixo outros casos). O AcheiUSA perguntou a participantes do grupo “Amigas Brasileiras na Flórida” no Facebook e centenas de pessoas relataram casos semelhantes (veja alguns na página ao lado).

Por ser o maior aeroporto do país, o Aeroporto Internacional de Guarulhos é líder em reclamações. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), até outubro do ano  de 2012 quando foi feita a ultima análise de dados, foram 1519 furtos, ou seja 130 ocorrências a mais do que o número total de casos ocorridos durante o ano de 2011.

De acordo com esses dados, o furto qualificado é maior na violação de bagagem pelos próprios funcionários das companhias aéreas que chega ao índice de 60% e 40% restantes são de furtos no saguão do aeroporto e arredores. O aeroporto de Guarulhos agora sob nova direção, tem aplicado métodos de melhoria e acrescentado mais câmeras para coibir a ação dos criminosos. 

Todo cuidado é pouco
A orientação das companhias aéreas é que o passageiro vítima desse tipo de crime deva prestar queixa ainda nas dependências do aeroporto. “Não conheço ninguém que chega de viagem cansado, depois de horas de voo e abra a mala no aeroporto para conferir as malas”, reclama Roberta Jordá. Se identificar o prejuízo já em casa, fica mais difícil reclamar, mas o registro é sempre necessário. Muitas pessoas conseguem o reembolso. “Fiquei um mês lá sem minhas roupas. Agora depois do transtorno eu fiquei traumatizada arrumo as malas com um mês de antecedência, faço uma lista com tudo o que tem dentro, tiro fotos e escrevo três bilhetes para os ladrões e deixo dentro em português, espanhol e inglês”, brinca.

O site de viagens “Melhores Destinos” informa que qualquer problema terá que ser comunicado imediatamente e por escrito à companhia aérea, por meio do RIB – Relatório de Irregularidade de Bagagem, ainda no aeroporto. Após deixar o aeroporto há o limite de sete dias após o desembarque, mas isso diminui as chances de conseguir uma indenização. Se não conseguir preencher o RIB, utilize o SAC via e-mail para documentar sua reclamação.

Caso a empresa não possa entregar sua bagagem de imediato, o passageiro deve exigir alguma compensação financeira para comprar itens de primeira necessidade (o valor varia de acordo com a rota e com a empresa, mas algo em torno de $150 em voos para o exterior ou R$ 380 no Brasil). Os recibos serão exigidos; se não conseguir e tiver algum gasto, guarde os comprovantes. Caso sua bagagem seja entregue com atraso superior a 72 horas de seu desembarque, você tem direito a uma compensação financeira maior. No entanto, as empresas têm até 30 dias em voos domésticos e 21 dias em voos internacionais para localizar a bagagem antes de oficializar o extravio. Somente após esse prazo elas começam a falar em indenização. Em todos os casos, você tem direito a receber sua bagagem na cidade e no endereço de sua conveniência, caso ela seja encontrada.

Quando a mala não é encontrada, as empresas aéreas vão calcular e oferecer uma proposta de indenização de acordo com o peso da mala registrado no check-in. A Convenção de Varsóvia, da qual o Brasil é signatário, estabelece o limite de $20 por quilo de bagagem extraviada em voos internacionais. Em voos domésticos o limite é R$ 4.200,00. Nesse caso, reclame e tente comprovar os bens e seus valores que constavam na mala extraviada. Se não estiver satisfeito, recorra à Justiça; Em caso de furto, além do RIB, faça um boletim de ocorrência na delegacia, mencionando a empresa área, o número do voo e todos os dados possíveis.

Você já teve a bagagem violada em alguma viagem ao Brasil? Veja os depoimentos de leitores via Facebook

Marcela Lacerda – Sim! Resolvi colocar as roupas em sacos com zip para proteção e tirei o ar e quando abri a mala no Brasil estava o saco rasgado, com minhas coisas espalhadas pela mala e algumas coisas sumiram.

Genivalda Cintra Walter – Eu já tive vários objetos roubados quando viajei de Miami para Salvador. Era tudo presente para minha família. Por sorte minha tinha todos os recibos. Escrevi uma carta para companhia aérea, mandei cópia dos recibos e eles me restituíram.

David Lorena Rodriguez – Roubaram minha mala inteira pela TAM, destino Miami–Fortaleza. Acredito que tenha sido na conexão com Manaus.

Rita Salgado – Eu tinha ido em Orlando e comprado muitas coisas da Minnie e Mickey e fui para Brasil. Quando cheguei em casa e abri as malas, tudo tinha desaparecido. Liguei para TAM e me disseram que eu tinha que ter verificado as malas antes de sair do aeroporto. Como e que eu vou abrir as malas dentro do aeroporto? Isto é um absurdo.

Flavia Figueiredo – Em junho de 2014 roubaram até as cuecas do meu filho na mala dele, além de tênis, tiraram os perfumes da caixa e deixaram a caixa vazia dentro da mala. Quando fui na TAM eles me disseram que não havia garantia de que estava tudo dentro da mala e perguntaram porque eu não coloquei seguro nas minhas malas. É frustrante saber que agente trabalha tanto e quer levar alguma lembrança pro Brasil e você é roubada dentro do aeroporto e ninguém faz nada.

Rosangela Rosinha de Morais – Cortaram a lateral da mala com estilete e retiraram uma câmera e um notebook, tive a felicidade de ter declarado os bens na saída dos EUA entrei na Justiça e pude recuperar parte do prejuízo.

Ruth Freaza Vickers – Meu irmão e cunhada tiveram voltando da Califórnia para o Brasil este ano, roubaram tudo e mais um pouco. Até roupas usadas! A mala chegou dias depois na casa deles em Campinas. Foi aí que o pesadelo começou e nada resolvido pela companhia aérea até hoje! Prejuízo total!

Ana Del Sol – Eu fui roubada em quase toda mercadoria que comprei pra minha loja no Brasil e o reembolso é de 20 dólares por kg roubado, eles pesam a mala na hora e olham a diferença na etiqueta e te pagam por diferença de peso, indiferente do valor que você foi lesada.

Neb abreu – Já me roubaram cremes, tênis e roupas. Reclamei e eles me devolveram o dinheiro de tudo porque eu tinha as notas fiscais de compra. Dei sorte!

Resposta da TAM
Confira na íntegra o posicionamento da TAM Linhas Aéreas:

“Em caso de danos, extravio ou qualquer anormalidade com a bagagem, a TAM solicita que o passageiro procure um de seus funcionários antes de deixar a área de desembarque. Esse funcionário analisará a ocorrência e prestará toda a assistência ao cliente. O assunto será analisado e registrado por meio do formulário Relatório de Irregularidade de Bagagem (RIB) e uma cópia desse documento é fornecida ao passageiro.

A companhia tem por prática treinar e orientar constantemente suas equipes a realizar o carregamento e descarregamento das bagagens com zelo. Além disso, funcionários são encarregados de monitorar esse trabalho.

A TAM orienta ainda que seus passageiros transportem itens frágeis ou de valor, como dinheiro, papéis negociáveis, documentos, remédios, chaves e equipamentos eletrônicos, na bagagem de mão.

Em relação ao caso da passageira Roberta Jordá (citada na reportagem), a TAM Linhas Aéreas informa que está apurando o ocorrido e em contato com a cliente”

Fique atento
– Não coloque nada de alto valor na bagagem despachada.
– Cuidem da sua bagagem de mão.
– Se estiver levando itens grandes na mala de mão, use um cadeado para prevenir que qualquer um abra a sua mala durante o seu sono no vôo.
– Tome cuidado com as malas de grife, elas podem chamar atenção.
– Prenda o zíper/cadeado na alça da mala. Para isso, use aqueles lacres de plástico se possível de uma ou duas cores bem diferentes, para que o ladrão não prenda de novo com um qualquer.
– Faça listas e tire fotos do que você colocou em cada mala.
– Tire foto das malas abertas e de tudo o que colocou dentro dela.
– Guarde os recibos de todas as compras
– Faça um bom seguro de viagem
– A embalagem com plástico filme também é recomendada
– Diferencie a sua mala das outras. Não é somente longe dos nossos olhos que os furtos acontecem, mas muitas vezes, as malas mais “discretas” são retiradas da esteira de bagagem e levadas sem a gente perceber.