Brasileiros também não querem presença de imigrantes

0
578

No nosso país, mais de 90% da população defende leis mais rígidas contra estrangeiros

Quando o assunto é intransigência em relação aos imigrantes, a rigidez de países como França, Espanha e Estados Unidos vem logo à mente. No nosso país, porém, a grande maioria dos brasileiros defende a implantação de condições igualmente restritivas à entrada de estrangeiros. Pelo menos esse foi o indicativo do Relatório do Desenvolvimento Humano, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, da ONU: somente 9% da população é favorável à liberação da entrada de estrangeiros no país.

De acordo com o relatório, quase a metade da população – 43% – é a favor de limitar ou proibir a imigração. Outros 45% querem que o governo só permita que estrangeiros ingressem “desde que haja empregos disponíveis”. “O receio de os migrantes serem responsáveis pela diminuição do número de empregos ou dos salários da população local, constituindo um fardo indesejável para os serviços locais, ou custarem muito dinheiro aos contribuintes, é geralmente exagerado. Quando as competências dos migrantes complementam aquelas das populações locais, ambos os grupos saem beneficiados”, conclui a pesquisa.

É a primeira vez que o tema da migração é incluído no relatório anual do Pnud. Segundo Helen Clark, a administradora do programa, a equipe de técnicos constatou que é comum esse assunto ser tratado pela mídia de forma a torná-lo impopular. A avaliação é a de que tal comportamento se deve basicamente ao preconceito e à xenofobia. “Estereótipos negativos que representam os migrantes como alguém que nos vem roubar os empregos, ou que vive às custas do contribuinte, abundam na mídia e na opinião pública, especialmente em épocas de recessão”, concluiu.