Brazilian Voices ganha destaque em reportagem do Sun Sentinel

0
552

Jornal publica reportagem sobre projeto de musicoterapia do grupo brasileiro

O projeto Arts & Healing, do Brazilian Voices, que foi tema de reportagem no AcheiUSA em 2008, agora parou nas páginas do jornal Sun Sentinel. A repórter Alexia Campbell, do diário do sul da Flórida, acompanhou as cantoras brasileiras durante uma visita aos quartos do Broward General Medical Center, onde o grupo cantou para pacientes internados.

“As mulheres do Brazilian Voices, um grupo cultural sem fins lucrativos, está aí para provar que a bossa nova faz bem para a saúde – e para o espírito”, escreveu Alexia na matéria. Ela descreveu no texto os benefícios que o programa Arts & Healing pode trazer para os pacientes. “Os efeitos positivos da música clássica e outros gêneros tradicionais são reconhecidos pelos programas de musicoterapia e, de acordo com as enfermeiras, alguns sinais vitais dos doentes voltam a níveis normais”, explica a jornalista.

Para uma das diretoras do Brazilian Voices, Loren de Oliveira, o objetivo tem sido alcançado. “Nós queremos levar alegria e bem-estar para os pacientes, mesmo que apenas por três breves minutos”, disse a paulistana, na matéria do Sun Sentinel. No repertório, Sandália de Prata, Girl from Ipanema e Samba de uma Nota Só.

Um dos pacientes, inclusive, ouviu as canções e se recordou do tempo em que viveu no Rio de Janeiro, há mais de 30 anos. “Eu costumava beber cerveja naquele bar”, disse o senhor de 80 anos, citando o local onde Vinícius de Moraes e Tom Jobim escreveram o maior clássico da bossa nova. “Música realmente faz bem ao corpo e à alma”, finalizou Loren.

Relembre trechos da matéria publicada no AcheiUSa

Música para os ouvidos e para a saúde

Não é de hoje que a música está associada à recuperação de pacientes com determinados tipos de doenças, como derrame cerebral, mal de Parkinson e até câncer. Ciente disso, o Brazilian Voices está lançando o projeto Arts & Health Care, em que pretende auxiliar no processo de autocura dos ouvintes que estejam internados em clínicas, hospitais e casas de saúde do sul da Flórida. O grupo vocal, composto por 65 mulheres (brasileiras, em sua grande maioria) e que sempre encantou seus diversos públicos com seus programas culturais, educacionais, infantis, inclui agora em seu repertório de projetos a solidariedade e a transformação de vidas.

“Teremos a oportunidade de contribuir no processo de cura dessas pessoas através de nossa música”, comemora Marpessa Demoraes,  uma das responsáveis pela implantação do projeto junto com Marize Casaes – formada em Naturopatia e Astrologia. Além de ser uma das vozes do grupo, Marpessa – uma americana criada na Argentina – é psicóloga e pedagoga e, portanto, sabe bem do poder terapêutico que as canções podem produzir nos pacientes. Por isso, não esconde a ansiedade e a expectativa com a primeira apresentação.

Quanto ao repertório, o grupo pretende escolher canções da Música Popular Brasileira que reflitam alegria e esperança – como a Bossa Nova, que está sempre presente nos trabalhos do Brazilian Voices. “O repertório será de bossa nova e canções que inspirem tranqüilidade, alegria e esperança, penso em ‘Alguém Cantando’, ‘Aquarela do Brasil’ e ‘Samba de Uma Nota Só’, por exemplo”, conta Marpessa, acrescentando que esta também é uma excelente oportunidade de divulgação da cultura brasileira aqui nos Estados Unidos.

É claro que, por questões de espaço e da própria natureza do projeto, nessas apresentações, o Brazilian Voices será representado apenas por uma parcela das vozes: elas pensam em no máximo 15 cantoras, que serão sempre acompanhadas pelo piano encantador de Beatriz Malnic, diretora-fundadora do grupo juntamente com Loren Oliveira, que idealizou este projeto e iniciativa com  Bonnie Repetti, uma das coordenadoras de programação do Broward Center for the Performing Arts. “Nosso objetivo é atingir o coração e a alma dos nossos ouvintes e, através de nossas vozes e melodias, aliviar um pouco a dor que eles sentem”, resume Marpessa.