Brazilian Voices traça planos para 2009 e quer indicação para o Grammy Latino

0
451

O Brazilian Voices já deu início às suas atividades em 2009. E o ano promete muita emoção para as mais de 60 cantoras do maior e mais importante grupo vocal brasileiro na América. Além de um novo conceito artístico que vai nortear todas as inicitivas programadas para este ano, elas têm um objetivo bem definido – e ousado – para os próximos meses: o lançamento de um novo CD até junho, a tempo de ser nomeado à premiação do Grammy Latino.

“É um projeto audacioso, mas eu realmente acredito que temos condições de conseguir. Quando eu entrei para o Brazilian Voices havia apenas 13 meninas e as apresentações eram em pequenos espaços. Hoje nossos shows são em grandes palcos, para grandes públicos, inclusive em outros países. Portanto, com disciplina e determinação, podemos realizar mais este sonho”, disse Jade, a diretora artística do grupo.

A idéia é começar as gravações do CD em maio, com lançamento previsto para outubro, no Broward Center for the Performing Arts. O repertório está sendo escolhido, com a preocupação de destacar o melhor da música brasileira para atingir também os públicos latino e americano, fundamentais para a indicação ao Grammy: ‘Águas de Março’, ‘Garota de Ipanema’, ‘Anos Dourados’ e ‘Disparada’, por exemplo, são algumas possibilidades, mas o carro-chefe do trabalho será uma música inédita, de autoria das duas fundadoras e diretoras do Brazilian Voices, Beatriz Malnic e Loren Oliveira.

Segundo a consultora de marketing do grupo, Ana Osorio-Muñoz, a escolha de um conceito único e repertório padrão para todas as apresentações de 2009 vai ajudar a fortalecer a imagem do Brazilian Voices. O objetivo é organizar eventos paralelos para arrecadar fundos, que ajudarão a pagar os altos custos de gravação de um CD de alta qualidade – estúdio de primeira linha, produtor de peso e tudo mais que envolve o processo. “E o primeiro evento será um jantar de gala, já no mês de março”, adianta Ana.

A diretora financeira do grupo, Andrea Felizardo, destacou que, apesar das dificuldades no ano passado, quando o Brazilian Voices perdeu o seu principal patrocinador cultural, nenhum projeto foi abandonado. Portanto, em 2009 não será diferente e, mesmo com a possibilidade de uma crise duradoura, as meninas não pretendem alterar projetos como o Brazilian Kids, o Arts & Healing – que promove apresentações em hospitais e clínicas para doentes terminais – e o educacional, realizado em escolas do sul da Flórida. “Eu sempre digo que uma brasileira neste país vem para crescer, superar seus limites, mostrar sua raça, coragem e determinaçao. Agora imagina 60 mulheres juntas – isso é o Brazilian Voices”, afirmou Andrea.

Veja nas próximas edições do AcheiUSA mais detalhes sobre a programação do Brazilian Voices.