Bush se diz ‘enojado’ com escândalo sexual no Congresso

0
670

Foley fazia parte da comissão contra o abuso de crianças

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse que ficou “consternado e enojado” com o que fez o deputado republicano Mark Foley, que enviou mensagens eletrônicas de conteúdo sexual para adolescentes bolsistas que trabalhavam na Câmara dos Representantes do Congresso americano.
O presidente americano disse que ficou decepcionado porque Foley “violou a confiança de cidadãos que o colocaram” no Congresso.

Bush expressou seu apoio ao presidente da Câmara de Representantes, o republicano Dennis Hastert, acusado de não ter agido quando foi informado inicialmente sobre as mensagens, e endossou seu pedido de abertura de inquérito.

Hastert “quer que todos os fatos venham à tona”, disse Bush.

Repugnante

O presidente da Câmara negou ter tido conhecimento dos e-mails antes que viessem a público.

A líder dos democratas na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, disse que os líderes republicanos “admitiram conhecimento sobre o comportamento repugnante de Foley por seis meses a um ano, e fracassaram na proteção a crianças sob seus cuidados”.

O jornal conservador americano Washington Times também pediu a renúncia de Hastert.

Foley, representante de um distrito no sul da Flórida, fazia parte de uma comissão parlamentar contra a exploração sexual de crianças. Ele renunciou na sexta-feira quando os e-mails se tornaram públicos, pedindo desculpas por seu comportamento.

Seu advogado, David Roth, afirma que o congressista internou-se em uma clínica para o tratamento de alcoolismo.

Segundo Roth, Foley foi molestado sexualmente quando criança, e admitiu ser homossexual.

O congressista, de acordo com seu representante, disse jamais ter tido contato sexual com um menor.