Bush tenta destravar reforma migratória com apoio à emenda

0
681

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, tentou nesta quinta-feira destravar o debate sobre a reforma migratória no Congresso, ao anunciar seu apoio a uma emenda que liberaria imediatamente US$ 4,4 bilhões para a segurança nas fronteiras.

A emenda ao projeto de lei de reforma proposta pelos senadores republicanos Jon Kyl, do Arizona (sul), e Lindsay Graham, da Carolina do Sul (sudeste), libera US$ 4,4 bilhões de “fundos adicionais imediatos para dar segurança às nossas fronteiras e fazer com que as leis nos locais de trabalho sejam cumpridas”, disse Bush em Washington.

Bush está imerso no debate sobre uma reforma das leis migratórias vigentes depois que o líder da maioria da oposição democrata no Senado, Harry Reid, retirou na quinta-feira passada o projeto da discussão legislativa.

“Apóio uma reforma migratória ampla”, disse Bush, reiterando mais uma vez sua mensagem sobre este tema, que ameaça se tornar um ponto importante de debate na campanha presidencial do próximo ano se o Legislativo fracassar em chegar a um acordo.

Na terça-feira, o presidente realizou uma visita ao almoço semanal dos senadores republicanos no Capitólio, em uma tentativa de fazer com que seus correligionários do Senado dêem os votos necessários para a aprovação do projeto.

Reid retirou a iniciativa do debate no Senado depois de uma avalanche de emendas propostas pelos republicanos, e ressaltou que apenas aceitará retomar o debate se obtiver um compromisso de 60 votos que assegure a aprovação do projeto nessa câmara. A reforma conta com 53 votos de apoio até o momento.

O apoio de Bush a emenda proposta pelos dois senadores republicanos enfatiza a prioridade dos republicanos na discussão da reforma: a segurança das fronteiras do país.