Câmara aprova medida para derrubar ações imigratórias de Obama

0
1062

Republicanos querem derrubar medidas de proteção aos indocumentados anunciadas pelo presidente Obama em novembro

DA REDAÇÃO COM AGÊNCIAS

A Câmara dos Deputados, de maioria republicana, aprovou na quarta-feira (14) uma medida para derrubar as ações executivas anunciadas em novembro pelo presidente Obama que protegem da deportação algumas categorias de imigrantes indocumentados. A medida segue agora para a apreciação no Senado.

O plenário votou a aprovação com 236 votos a favor e 191 contra. A medida, basicamente, é para a liberação de fundos do departamento de Homeland Security ( DHS–segurança nacional) para o resto do ano. Mas os republicanos incluíram provisões na medida que visam derrubar as medidas de Obama.

A bancada republicana afirma que as ações do presidente são movimentos inconstitucionais que devem ser contidos.
“Não vamos aceitar isso facilmente, simplesmente não há alternativa”, disse John Boehner, presidente da Câmara (House Speaker). “Não se trata de uma disputa entre partidos ou mesmo entre setores governamentais. As ações executivas são uma afronta à lei e à própria Constituição.”

A Casa Branca já anunciou que vetará a medida aprovada, e as lideranças democratas comentaram que a atitude do GOP vai trazer prejuízos não apenas às famílias imigrantes, mas ao partido republicano.

“As emendas que os republicanos estão embutindo na lei, ou pelo menos tentando embuti-las, e visam manter em aberta a provisão para o departamento de Homeland Security são inconsistentes com os valores e a história da nossa nação. Elas vão destruir famílias”, disse o líder da oposição Steny Hoyer, D-Md.

No Senado, casa onde os republicanos também têm a maioria, a medida deverá encontrar dificuldades, entretanto. Especialmente porque os líderes do GOP na Câmara decidiram satisfazer as exigências da bancada mais conservadora do partido incluindo na medida o veto a uma política da 2012 que favorece os imigrantes jovens conhecidos como “Dreamers”. A emenda, à qual se opõem os republicanos moderados, vai fazer com que esse grupo esteja sujeito à deportação.

Parlamentares voltados para a segurança nacional, em ambos os partidos, estão preocupados com o uso da liberação de fundos para o DHS na luta pela questão imigratória, principalmente depois dos atentados ocorridos em Paris este mês. A provisão para o DHS acaba no final de fevereiro.

No Senado, os repubicanos precisarão de 60 votos para conseguir a maioria necessária para aprovação, mas contam com apenas 54 membros do total de 100 da Casa.

O líder democrata no Senado, Larry Reid, disse em nota que a medida não passará no Senado. “Os republicanos estão há só uma semana no controle e já começaram lutas políticas desnecessárias, que podem paralisar o DHS e por em risco nossa segurança”, disse.

O presidente Obama já ameaçou vetar a medida aprovada na Câmara.