Campanha milionária por reforma ampla e abrangente

0
884

Entidade quer mostrar importância dos imigrantes para os Estados Unidos

Um organismo, encabeçado por um renomado estrategista dos meios de informação dos Estados Unidos, anunciou recentemente o lançamento de uma campanha multimilionária que buscará conscientizar os americanos a respeito da contribuição dos imigrantes para a economia. O Mexicans & Americans Thinking Together (MATT.org) anunciou durante sua segunda “Mesa Redonda sobre Soluções de Imigração”, realizada em Las Vegas, que divulgará a importância dos imigrantes para a economia americana.

A entidade, presidida por Lionel Sosa, a quem alguns órgãos de imprensa concederam o mérito de conseguir a metade dos votos hispânicos obtidos pelo presidente George W. Bush em 2000 e 2004, emitiu um comunicado no qual revelou que “o propósito da iniciativa em várias etapas é encontrar a mensagem positiva em favor da imigração, que responderá à mensagem divisionista promovida pelos grupos contrários ao tema, e levar a uma atuação do governo”. Sosa acrescentou que esta nova mensagem será a peça central de uma campanha na mídia que quer alcançar o nível de gasto das campanhas presidenciais, “talvez algo em torno de US$100 milhões”.

De acordo com os planos de Sosa, a campanha será lançada “possivelmente nos próximos três meses”. O empresário e ativista convocou empresas e entidades afins para ajudar no projeto. Entre essas companhias poderão figurar muitas de setores como o agrícola ou o da construção, que dependem bastante do trabalho dos imigrantes, inclusive dos indocumentados, e que, nos últimos anos, advertiram que, se o Congresso não aprovar uma reforma imigratória, a crise de trabalhadores causará sérios problemas à economia dos Estados Unidos.

Escassez de trabalhadores

O anúncio da MATT.org ocorre uma semana depois do presidente da Câmara de Comércio dos Estados Unidos, Thomas Donohue, ter pedido ao legislativo que aprove uma reforma imigratória que responda às necessidades da economia, porque o país precisa de trabalhadores. “Preciso destes trabalhadores (imigrantes). É hora de uma reforma que proteja nossas fronteiras e garanta a mão de obra que precisamos para o crescimento de nossa economia”, disse Donohue durante um discurso em Washington.

O empresário alertou o país sobre os grandes desafios trabalhistas para os próximos anos que requerem ação imediata: 77 milhões de pessoas que nasceram em 1946 e 1964 e que entram agora na idade de se aposentar, e uma “grave escassez” de cientistas, engenheiros e trabalhadores do setor tecnológico. E acrescentou que “as lavouras estão apodrecendo nos campos porque não há ninguém disponível para as colheitas”, portanto a imobilidade do Congresso na reforma imigratória “é inaceitável”.

Assinatura pendente>/b>

O debate da reforma imigratória fracassou no Senado em 28 de junho do ano passado e ficou como assinatura pendente para 2009 ou 2011, segundo legisladores democratas e republicanos.

Donohue reconheceu que em 2008 “não vamos conseguir a aprovação de um amplo programa de imigração, mas ao menos precisamos responder às necessidades do setor agrícola”. Apontou ainda que a escassez de mão de obra nos setores agrícola e de alta tecnologia poderá ter graves consequências para a economia nacional.

O presidente da câmara explicou ter escutado de agricultores da Califórnia que “estão arrendando terrenos no México, para depois exportar os produtos” para os Estados Unidos. “Não precisamos deste tipo de situação”, enfatizou, após assegurar que “temos uma grande equipe que continuará pressionando sobre estes assuntos”.

Nos últimos três anos o debate da reforma imigratória sofreu duas importantes derrotas no Congresso.
Dan Stein, presidente da Federação para a Reforma de Imigração nos Estados Unidos, que exige restrições à imigração indocumentada, assinalou que seu grupo pretende responder com uma campanha contrária à que será promovida pela MATT.org.