Carolina Italiano Maciel: Pequena no tamanho, grande no talento

0
607

Artista plástica e tatuadora, Kikaxink desponta como uma criadora incomum

Carolina Italiano Maciel - Kikaxink
O nome é Carolina Italiano Maciel, mas você provavelmente não sabe quem ela é. No entanto, ao se apresentar como Kikaxink, ela é prontamente reconhecida como uma artista criativa e cheia de obras de arte que surgem de sua mente fértil.

Vinda de Recife aos sete anos de idade e radicada aqui há 21 anos, é natural que Kikaxink sinta-se integrada à Flórida. Mas seu talento revelou-se bem cedo, ainda no Brasil: “Quando tinha cinco, seis anos, já gostava de desenhar”, revelou a artista.

O sonho foi tornando-se realidade à medida que Kikaxink ia crescendo. Seus traços e pinturas sempre ilustravam sua vida, mas ela foi atraída para uma arte mais personalizada, digamos assim: a tatuagem.

Aos 24 anos, ela ganhou uma máquina de tatuar e ficou maravilhada. Mas como fazer para se tornar tatuadora, algo que ela não tinha a mínima ideia sobre como funcionava?

Para saber como deveria fazer, ela pegou seu livro de desenhos e foi para Las Olas Boulevard, em Fort Lauderdale, conversar com alguns tatuadores profissionais. “Mostrei meu livro de desenhos para um tatuador e pedi uma dica. Ele perguntou se eu era a autora daqueles desenhos, quando respondi que sim pediu para eu emprestar o caderno de desenhos. Claro que não dei, são peças únicas, criadas por mim. Aí, procurei outro tatuador. Este também me cumprimentou pelos trabalhos, mas foi mais acessível e me disse para eu praticar em bananas e laranjas, por causa da textura das cascas destas frutas”.

Ela seguiu o conselho e praticou bastante. Quando sentiu que estava preparada, tatuou a perna de um amigo, que serviu de cobaia. “O resultado foi surpreendente. Todo mundo gostou. Hoje depois de quatro anos como tatuadora, tenho uma clientela fiel e já fiz cerca de 150 tatuagens. As pessoas me procuram porque faço algo bem personalizado”, explica Kikaxink.

Outras vertentes

Nesse meio tempo, ela se dedicou a outras formas de arte: pintura de murais e quadros, algo que ela já fazia desde os 18 anos de idade.
Agora, a irriquieta Kikaxink está partindo para uma alternativa ainda pouco explorada, conforme ela mesma explica: “Meu objetivo é criar roupas e fazer artigos personalizados, com base nos meus desenhos. Comecei há cerca de dois meses e a aceitação tem sido grande”.
A artista distribui camisetas criadas por ela em algumas lojas brasileiras, já com sua própria etiqueta. Kikaxink garante que o material é de boa qualidade: “A pessoa pode lavar a roupa que a tinta não sai”.

E não são apenas camisetas. Ela cria trabalhos para capas de iPod, de telefones celulares e de outros artigos que a pessoa quiser. Afinal, além de o cliente ter um item totalmente personalizado, ela aproveita para divulgar suas criações. Ela agradece também a Paulo Rocha que a ajudou a criar sua linha de camisetas. “E isto é apenas o começo”, promete.

Quem quiser fazer alguma tatuagem ou comprar um item personalizado, pode entrar em contato com a própria Kikaxink pelo telefone (954) 479-1147. No caso das tatuagens e dos murais, ela não tem como fixar preço porque o orçamento depende do trabalho, quanto maior e mais trabalhoso, mais caro fica. As camisetas podem ser adquiridas por $50 o par, enquantro os quadros são comercializados também de acordo com o tempo e o trabalho que Kikaxink dedicou a cada um deles.

Se você tem dúvida de que ela, em breve, será uma artista conhecida, aqui vai uma inconfidência.

Ao ser perguntada quantos quadros ela já vendeu, Kikaxink respondeu candidamente: “Já vendi cerca de mil deles”. Ou seja, vale a pena investir nesta jovem de talento enquanto ela é relativamente desconhecida. Já pensou quando ela se tornar a Andy Warhol da nova geração, quanto custará uma obra de arte feita por ela? Pense nisto!