Caso no Colorado deixa imigrantes preocupados

0
710

Promotor Ken Buck vasculhou declarações de imposto de renda de hispânicos

Em busca de imigrantes em situação irregular, um promotor do Colorado, Ken Buck, vasculhou milhares de informações confidenciais de contribuintes numa empresa que prepara o imposto de renda da comunidade hispânica na cidade de Greeley, naquele estado. A operação, chamada de ‘Jogo dos Números’ (‘Numbers Game’, em inglês), foi deflagrada após a denúncia de roubo de identidade de um cidadão local. A intervenção resultou na detenção de 70 indocumentados, que foram acusados de usar o número de Seguro Social de outras pessoas.
A entidade de apoio aos imigrantes União Americana de Liberdades Civis (American Civil Liberties Union – ACLU) criticou a operação, já que os documentos de cerca de 4.900 pessoas, inclusive de residentes legais e cidadãos, foram investigados. “Isso equivale a buscar um criminoso numa determinada vizinhança invadindo a casa de inocentes moradores”, disse um dos diretores da ACLU. Mais de 1.300 indocumentados foram identificados nesta operação, a maioria deles usando número de Seguro Social de americanos e recolhendo o imposto através do ‘Individual Tax Identification Number’ (ITIN), o que é ilegal.
O caso ganhou os tribunais de justiça, depois que a ACLU questionou a ação dos promotores. Magistrados deram ganho de causa aos imigrantes, alegando que Buck não teria o direito de solicitar documentos confidenciais. O promotor, porém, alega que esta pode ser uma nova forma para detectar os indocumentados e, com isso, garantir a segurança nacional.
Um dos imigrantes detidos foi o mexicano Horacio Arturo Cervantes, de 42 anos, que durante todos os anos de vida na América sempre pagou impostos, pois tinha esperanças que isso fosse facilitar sua legalização. Ele agora deve ser deportado.
Outra má notícia é que os promotores de outros estados acompanharam o caso e, com o precedente, podem solicitar a mesma medida. Vale lembrar que a Suprema Corte dos EUA decidiu que só é possível acusar imigrante de crime de roubo de identidade caso se prove que o trabalhador usou um número social que ele sabia que pertence a outra pessoa.