Censo dos EUA quer contar número de indocumentados na América

0
697

Thomas Mesenbourg (foto), diretor do centro, conta com a ajuda das comunidades de imigrantes para atingir o objetivo em 2010

O diretor do Censo norte-americano (U.S. Census Bureau), Thomas Mesenbourg, tem um objetivo claro para 2010: ele quer contar quantos indocumentados existem nos Estados Unidos. Para tanto, ele conta com a ajuda das comunidades de imigrantes. “Nossa intenção é registrar cada indivíduo que vive no país, seja cidadão, seja alguém que está com o status imigratório irregular. No entanto, sabemos que para isso precisaremos da ajuda fundamental das organizações e entidades de imigrantes”, afirmou a autoridade.

Uma das formas de atingir este número é a parceria com igrejas, grupos comunitários e, principalmente, veículos de comunicação voltados para imigrantes. “Esperamos que a mídia divulgue a informação de que é importante e seguro participar do censo”, disse Mesenbourg. Uma das formas de participação na pesquisa não exige sequer a presença de um recenseador na residência, já que o formulário pode ser preenchido com calma e depois, enviado pelo correio. Há versões em inglês e em várias outras línguas, no site do Censo (http://2010.census.gov/2010census/promotional_materials/009579.html).

Mesenbourg ressalta que esta definição, inclusive, pode mudar a configuração política do Congresso Nacional. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, há 435 representantes que são escolhidos de acordo com o número de habitantes de cada estado – a Califórnia, o estado mais populoso do país, tem mais deputados que o Wyoming, o menos habitado. Portanto, a distribuição de cadeiras pode mudar se o censo mostrar que em um determinado estado há muitos indocumentados que antes estavam à sombra da sociedade. O diretor do censo chegou a dizer, durante uma palestra para representantes de entidades latinas, que os imigrantes teriam, então, o poder de influenciar no equilíbrio de forças na casa legislativa americana.