Comunidade brasileira na Prefeitura de Deerfield Beach

0
1024

Representantes do CCB defendem indocumentados

A reunião desta terça-feira, 21 de junho, foi diferente na Prefeitura de Deerfield Beach.

Um grupo de dezenas de brasileiros tomou assento nas poltronas da sala de reuniões durante um encontro realizado com os políticos da cidade e a população local.

Depois do cidadão Robert Scalia manifestar seu desagrado pela velocidade dos barcos na Intracoastal e pedir providências às autoridades para resolver a questão, chegou a vez de Michael Church e Urbano Santos falarem em nome do Centro Comunitário Brasileiro (CCB) para enfatizar a injustiça que vem sendo praticada por alguns policiais do condado de Broward contra alguns compatriotas que são parados e, por não terem documentos legais, encaminhados para a cadeia de Pompano Beach, onde são entregues
aos agentes do ICE (a polícia responsável por deter pessoas que cometeram infrações imigratórias).

O discurso foi breve. Os representantes destacaram a importância de se ter ao lado as autoridades locais nesta batalha contra esta excrescência que vem sendo praticada, até porque isto não faz parte das diretrizes do estado da Flórida.

Este tipo de ação vem causando bastante dissabores nas famílias dos detidos e intranquilizando a poulação imigrante em geral, não apenas os brasileiros.

A peroração, porém, não convenceu a prefeita Peggy Noland. A alcaide demonstrou claramente não ter gostado da presença dos brasileiros na galeria e muito menos da intervenção de Church e Santos.

Ela foi taxativa ao afirmar que este assunto não diz respeito à Prefeitura de Deerfield Beach e, portanto, deveria ser encaminhado ao escritório do Broward Sheriff Office órgão responsável pela segurança policial no condado.

Apesar disso, Urbano Santos, do CCB, considerou válida a participação dos brasileiros.

Embora nossa ida pode não ter tido efeito prático, serviu para pelo menos alertar a população de americanos que, muitas vezes, desconhece os problemas vividos pelos imigrantes em geral e pelos brasileiros em particular, comentou o dirigente comunitário, lembrando que a reunião foi documentada por uma TV local e por jornais da cidade. Ele até mesmo concedeu entrevista a uma repórter do The Pelican para falar sobre o tema.