Condado de Cook, no Illinois, desafia diretriz imigratória federal e solta imigrantes presos

0
499

Mais de 40 indocumentados são liberados da cadeia depois de cumprir pena por delitos leves

A liberação de mais de 40 imigrantes supostamente ilegais que estvam presos no Condado de Cook, no Illinois, colocou mais lenha na fogueira do debate imigratório. A medida desafia a orientação da Casa Branca de deportar os indocumentados que tenham passagens pela polícia.

A orientação depende da ação dos agentes da polícia e do sheriff, porque eles têm que manter os suspeitos presos além do tempo previsto para a pena. Mas os vereadores (commissioners) do condado votaram uma medida determinando que o sheriff ignore todas as diretrizes federais que recomendem a retenção de imigrantes depois de cumpridas as respectivas penas ou depois de pagar fiança.

Outras cidades, como São Francisco, tomaram medidas semelhantes, desafiando a orientação do governo de Obama, que muitos acusam de estar injustamente deportando imigrantes por causa de violações de trânsito e outros delitos menores. Mas a determinação do condado de County foi a primeira a proibir o sheriff de reter suspeitos e acusados.

“Isso coloca os moradores em risco, e a minha polícia também”, disse Rod Craig, prefeito de Hanover Park, nas redondezas de Chicago, perplexo com a liberação de três supostos imigrantes ilegais acusados de atacar dois guardas e tentar roubar uma arma deles.

A detenção dos imigrantes nesses casos é necessária para dar tempo aos agentes federais de transferirem os suspeitos e dar início ao processo de deportação. Mas cada vez mais governos locais têm reclamado do programa, chamado de Secure Communities, que dá o direito aos agentes de imigração de coletar impressões digitais nas cadeias. Eles dizem que tal prática custa muito dinheiro e trata injustamente os imigrantes, especialmente os acusados de pequenos delitos, como violações de trânsito, pequenos furtos em lojas e dirigir embriagado.

Alguns estados até mesmo se recusaram a aderir ao programa. No Illinois, por exemplo, o governador Pat Quinn já declarou que o seu governo não vai cooperar com o Secure Communities. O governo de New York também. E em São Francisco, o sheriff tem se recusado a honrar pedidos do ICE para reter presos imigrantes acusados de pequenos delitos.

No condado de Cook, majoritariamente democrata, e que tem visto um rápido crescimento da sua população latina, os vereadores têm vociferado de ambos os lados da questão as angústias e medos para além dos limites dos subúrbios de Chicago.

“Estamos consertando o erro que está sendo cometido contra as pessoas do condado de Cook, que estão sob a proteção da Constituição”, afirma o vereador Larry Suffredin, democrata a favor da medida que protege os imigrantes.
“Por que”, pergunta Jesus Garcia, o vereador autor da medida, “os imigrantes têm de ser tratados de forma diferente dos outros presos? Ao recusar uma detenção que é baseada apenas num pedido formal (de agentes da imigração), e de gente que tem direito à liberdade, estamos seguindo o nosso sistema jurídico…”

Outro vereador avisou que a câmara estava colocando as pessoas em perigo – e se arriscando a receber uma tempestade de propaganda negativa caso alguma das pessoas liberadas cometa um crime mais sério e violento.

Menos de um mês depois da decisão dos vereadores, mais de 40 supostos imigrantes ilegais acusados ou condenados de pequenos delitos foram soltos em vez de entregues aos agentes federais, de acordo com o escritório do Sheriff local.

Tom Dart, o sheriff, tem se mantido relativamente calado com relação ao assunto. Depois que ficou claro que a medida dos vereadores iria interferir na deteminação dada aos seus subordinados, Dart apenas declarou através de um porta-voz que o seu departamento iria respeitar a inteferência e cumprir o determinado por ela.

O condado de Santa Clara, na Califórnia, estava pronto para adotar uma medida semlhante quando a apenas uma hora antes das discussões em plenário os vereadores ficaram sabendo que Cook já a havia adotado. Eles decidiram então esperar.

Se a medida do condado de Cook vai gerar outras medidas semelhantes pelo país ou não, isso ainda permanece uma incógnita.

O governo de Obama deu alguns passos no sentido de amainar o programa polêmico. No fianl do mês passado, o governo anunciou a prisão de quase 3000 criminosos para deportação, ressaltando que todos os capturados possuíam pelo menos uma condenação por antecedente criminal. Oitenta e sete deles foram presos no Illinois.

Por outro lado, uma jurisdição voltou atrás na decisão de adotar uma medida semelhante. O condado de San Miguel, no New Mexico, havia limitado drasticamente o número de requisições de detenções acolhidas. Agora o condado honra todas.