Histórico

Condoleezza Rice critica oposição russa a escudo antimísseis

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, criticou nesta quinta-feira a ferrenha oposição russa aos planos americanos de instalar escudos antimísseis na Europa, dizendo que o sistema de defesa não oferece nenhum risco ao arsenal nuclear de Moscou.

Condoleezza Rice disse que oposição russa a escudo é ridícula
“Vamos ser realistas: a idéia de que de alguma forma dez interceptadores e alguns radares no leste da Europa vão ameaçar a estratégia soviética de detenção é simplesmente ridícula e todo mundo sabe disso”, disse Rice a repórteres.

A declaração foi feita pouco antes de uma negociação da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte, aliança militar liderada pelos EUA) com o ministro das Relações Exteriores russo.

“Os russos têm milhares de artefatos nucleares. A idéia de que de alguma forma é possível interromper a estratégia nuclear russa com uns poucos interceptadores não faz nenhum sentido”, insistiu a secretária de Estado.

Duelo

O debate sobre os mísseis dominou o início das negociações de dois dias entre chanceleres da Otan, que também deverão discutir os esforços de apoio da missão militar da aliança no Afeganistão e a divisão entre a Rússia e os poderes ocidentais sobre o futuro de Kosovo.

O chanceler russo, Sergey Lavror, deverá comparecer às negociações depois de uma sessão de abertura apenas para os membros da Otan.

Em outro duelo de palavras entre a Rússia e a Otan, o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou a suspensão da participação de seu país em um tratado de controle de armas da era soviética em resposta à recusa da organização em ratificar uma versão atualizada do acordo.

O tratado de 1990 regula o destacamento de aeronaves militares, tanques e armas pesadas não-nucleares na Europa. Os EUA e outros membros da Otan se recusam a ratificar a nova versão em uma tentativa de forçar Moscou a obedecer seu compromisso de retirar tropas das ex-repúblicas soviéticas de Moldova e Geórgia.

Putin ameaçou se retirar do tratado completamente se não houver progresso nas discussões.

Sistema antimísseis

Washington deve instalar uma base com 10 foguetes interceptores na Polônia e um radar na República Tcheca para prevenir ataques com mísseis balísticos provenientes do Irã ou da Coréia do Norte.

Os EUA afirmam que o sistema visa proteger a Europa e a América do Norte. A Rússia, por outro lado, descarta uma ameaça imediata da Coréia do Norte e do Irã e teme que a iniciativa americana leve a uma nova corrida armamentista.

Rice disse que continuará a discutir a questão com os russos, que ameaçaram considerar as instalações no leste europeu como alvos.

Ontem, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, convidou a Rússia a visitar em seu país as bases tecnológicas do escudo antimísseis que o governo americano pretende instalar no leste da Europa.

Gates fez esta proposta em Berlim, onde se reuniu com seu colega alemão, Franz-Josef Jung. A visita do secretário de Defesa à Alemanha é parte de uma viagem que na última segunda-feira o levou a Moscou.

O secretário de Defesa afirmou que especialistas russos podem visitar mísseis de interceptação no Alasca e sistemas de radares na Califórnia.

Com isto, Gates lançou uma nova mensagem conciliatória para Moscou. Ele afirmou que espera que a Rússia saiba avaliar os esforços de seu país por uma solução de consenso. O governo russo foi convidado para cooperar neste projeto, mas até o momento se recusou a aceitar o plano.