Congresso aprova tratado de livre comércio com a Colômbia

0
585

Este tratado juntamente com acordos similares com o Panamá e Coréia do Sul devem criar cerca de 12 mil empregos na Flórida no próximo ano

Depois de muito debate, a Câmara Federal e o Senado estão preparados para aprovar um tratado com a Colômbia nesta quarta-feira juntamente com acordos similares com o Panamá e a Coréia do Sul, os quais devem criar 11,685 empregos na Flórida somente no próximo ano e com perspectivas de muito mais no futuro.

Os tratados reduzirão o custo para vender muitos produtos da Flórida — desde motores de aviões a motoniveladoras e fertilizantes até eletrônicos. As reduzir as tarifas sobre os bens americanos, apenas o tratado com a Colômbia deve incrementar as exportações da Flórida em $345 milhões, além de um adicional de $187 milhões em serviços.

O impacto mais direto será sentido nos portos da Flórida, incluindo Port Canaveral, Port Everglades, Porto de Miami e Porto de Palm Beach. Mais de 55,000 companhias da Flórida enviam produtos além-mar, e outras milhares suprem estas empresas com bens e serviços.

Estes acordos não despertaram os costumeiros temores da concorrência externa porque a maioria dos produtos já entra neste país com isenção de impostos. Entretanto, provocou uma forte reação contrária dos sindicatos dos trabalhadores americanos, com seus advogados afirmando que eles não protegem os direitos dos trabalhadores daqueles países. E os líderes sindicais americanos disseram ter constatado ameaças a lideranças sindicais colombianas e exploração de mão-de-obra infantil.

Por causa destas preocupações, o presidente Barack Obama adiou o fechamento do tratado comercial com a Colômbia, inicialmente negociado pelo governo de George W. Bush. As autoridades colombianas lhe garantiram, no entanto, que respeitarão os direitos dos trabalhadores e protegerão os líderes sindicais.

Os democratas no Congresso insistiram ainda num adendo de “assistência ao ajuste comercial”, criado para ajudar os trabalhadores americanos que podem perder seus empregos. Os empresários, porém, refutam estas preocupações e reiteram que isto gerará mais empregos.

O tratado com a Colômbia é especialmente significativo para a Flórida. A Colômbia já é o segundo maior parceiro comercial do estado, com $7.6 bilhões em mercadorias comercializadas no ano passado. O acordo eliminará tarifas de mais de 87 por cento das exportações de produtos americanos para consumo e industrial para a Colômbia em cinco anos.

No Panamá, 87 por cento das exportações americanas serão isentas de impostos imediatamentel com as tarifas restantes sendo eliminadas em 10 anos. Na Coreia, cerca de 95 por cento do comércio americano será livre de impostos em três anos. A indústria de produção de frutas da Flórida espera que o aumento do comércio com a Coreia ampliará o mercado asiático para a produção estadual.