Congresso vai pedir relatório sobre as atividades do DHS

0
545

Democrata e ativistas criticam maus-tratos a imigrantes e medidas que comprometem direitos humanos

Em defesa dos imigrantes e preocupado com possíveis descumprimentos dos direitos humanos, o presidente do Comitê Judicial da Câmara de Representantes, o democrata John Conyers, pediu ao Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos (DHS, na sigla em inglês) que envie ao Congresso um relatório sobre suas atividades. O objetivo é buscar explicações sobre uma série de medidas que, segundo ativistas, contrariam a Constituição norte-americana. As maiores críticas são contra as operações indiscriminadas, os maus-tratos nos centros de detenção de indocumentados e a discriminação no tocante ao plano de evacuação em caso de acidentes naturais.

De acordo com grupos de defesas dos imigrantes, a patrulha da fronteira foi instruída a checar a documentação de pessoas que estão em rota de evacuação, em especial durante furacões, incêndios e terremotos. “Esta é uma iniciativa vergonhosa e muito perigosa, que compromete a segurança da população e dificulta o trabalho da polícia”, disse Janet Murguía, presidente do Conselho Nacional de La Raza, com sede na Califórnia.

Para evitar tal determinação, os ativistas enviaram uma carta ao diretor do DHS, Michael Chertoff. Segundo John Trasviña, presidente do Fundo Mexicano para Defesa Legal e Educação, a patrulha da fronteira recebeu ordens de deter as pessoas que não apresentarem identificação durante as rotas de fuga de furacões, incêndios e terremotos deverão ser separadas do restante do grupo e encaminhadas para os centros de detenção. “A maioria dos americanos não carrega seus passaportes ou certidões de nascimento quando abandonam suas casas apressadamente”, justificou Trasviña, enfatizando que até os cidadãos serão submetidos a um constrangimento desnecessário.

Conyers, por sua vez, tem certeza que a rigidez do Departamento está dissociada das exigências humanitárias, mas Chertoff assegurou que a prioridade da agência é garantir a segurança das pessoas em caso de acidentes naturais.