Cor da pele influencia policiais

0
1466

Mesmo negando, as autoridades policiais param pessoas que têm perfil de estrangeiros

Antes mesmo da famosa Lei anti-imigrante SB1070 entrar em vigor, Jim Shee, membro da ACLU (Associação de Liberdades Civis da América) e cidadão americano foi parado duas vezes pela polícia que lhe pediu para mostrar seus “papéis.”

Há apenas uma razão pela qual Jim Shee foi parado em seu 70º aniversário. Ele era um “marronzinho”no Arizona, segundo Anthony Romero, diretor executivo da ACLU. Ele é um cidadão americano de descendência chinesa e hispânica que estava indo para a festa de aniversário dos seus 70 anos quando foi interrogado pela polícia. Alguns dias depois, novamente lhe pediram que mostrasse seus “papéis”.

Isto é exatamente o tipo de suspeita provocada pelas feições pessoais dos indivíduos que vem ocorrendo no Arizona, depois de a SB1070 se ter tornado lei, e replicado em outros estados.

Mas isto acaba resultando em outros efeitos, como as ações judiciais feitas pela ACLU. Na verdade, a entidade questionou cada um destes projetos de lei que se tornaram lei com uma ação na justiça. Isto foi feito no Arizona, Utah, Indiana, Georgia e Alabama e será feito na Carolina do Sul em breve. Este tipo de discriminação racial não pode ocorrer neste país, de acordo com a ACLU.

A ACLU está agindo nos estados, mas cobra do governo Obama para que faça sua parte no sentido de parar as atividades anti-imigrantes. A entidade cobra de todos para que pressionem o secretário de Justiça, Eric Holder, e enfatize que as leis “mostre-me seus papéis” não têm lugar nos EUA.

Estas leis estaduais refletem uma crescente crise de direitos civis que deve ser endereçada nacionalmente. Eles institucionalizaram o perfil racial e a discriminação nos estados e nas localidades em toda a nação e estão violando diretamente a Constituição.

Romero enfatiza: “Ganhamos em instâncias preliminares no Arizona, Utah, Indiana e na Geórgia a fim de evitar que estas leis sejam implantadas. E, na última sexta-feira, fomos à Corte no Alabama. Assim como as leis aprovadas nos outros estados, o novo estatuto do Alabama não confere autoridade à polícia para efetuar práticas discriminatórias e inconstitucionais. Na verdade, a lei exige que todos no Alabama carreguem um tipo de identificação ou, caso contrário, serão presumivelmente assumidos como imigrantes indocumentados”.

E Romero finaliza: “Não pretendemos ficar sentados e esperar por esta legislação odiosa. E estamos contando também com sua participação. Diga ao secretário de Justiça, Eric Holder: ‘Pare estas leis de perfis raciais’. Não deixe esta erosão maciça dos direitos fundamentais das pessoas sem resposta. Aja hoje mesmo ao assinar nossa petição: ‘Fora o perfil racial’.”

Você pode acessar a página da ACLU na internet e encontrará a petição para ser assinada. O endereço eletrônico é www.aclu.org. Não deixe de participar!