Cresce especulação sobre candidatura de prefeito de NY nos EUA

0
737

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, tentou amenizar nesta quarta-feira as discussões sobre uma possível candidatura à Casa Branca em 2008, mas não conseguiu vencer a onda de especulações que surgiram depois que ele abandonou o Partido Republicano. A saída do partido, divulgada ontem, alimentou as previsões de que ele concorrerá como independente à Casa Branca na disputa presidencial do próximo ano.

Michael Bloomberg falou hoje a jornalistas em Manhattan e negou candidatura
Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, Bloomberg, 65, afirmou que pretende continuar no cargo de prefeito, mas, ao mesmo tempo, se disse favorável a que muitos candidatos disputem a Presidência em 2008. “Quanto mais pessoas concorrerem, melhor”, disse.

Um dia depois de abandonar o Partido Republicano e se registrar como independente, Bloomberg continuou a emitir hoje sinais ambíguos sobre suas intenções políticas. Em seu discurso abordou as grandes questões que desafiam todo o país, como a imigração.

Ele disse querer discutir estes grandes temas, que fazem parte do debate presidencial. Mesmo assim, insistiu na prefeitura: “eu tenho o melhor emprego do mundo”, afirmou.

O não-candidato

Depois de seis anos como republicano, a saída do ex-executivo do partido foi um sinal interpretado como um passo em direção à disputa presidencial do próximo ano. As constantes visitas do prefeito ao exterior também ajudam a reforçar as especulações sobre suas ambições políticas.

Contra os boatos, Bloomberg afirmou hoje que, apesar de se sentir “lisonjeado” pela especulação, ele não é um candidato. “Nós temos duas pessoas em Nova York que são candidatos à Presidência dos EUA. Não estou certo de que o Estado precisa de mais um”, disse, em referência à senadora democrata Hillary Clinton e ao ex-prefeito da cidade Rudolph Giuliani, que é republicano.

Bloomberg, que fundou o serviço de notícias Bloomberg LP, tem uma fortuna estimada em mais de US$ 5 bilhões. Sua fortuna poderia financiar facilmente uma campanha presidencial independente nos EUA.

Segundo uma pesquisa da Universidade Quinnipiac, conduzida pouco antes do anúncio da saída do partido, apontou que Bloomberg tem 16% da preferência entre os eleitores de Nova York. Em primeiro lugar na pesquisa apareceu Hillary Clinton, em 43%, seguida por Rudolph Giuliani com 29%.

Hillary Clinton, questionada sobre a mudança de filiação de Bloomberg, afirmou: “Não me surpreendo por ninguém querer deixar o Partido Republicano”.