Crianças indocumentadas passam de 60 mil e são caso de segurança nacional

0
535

Justiça está mantendo-os em abrigos usando lei anti-terrorismo

DA REDAÇÃO COM BUZZFEED

Advogados que estão ajudando crianças e mães que atravessaram a fronteira na avalanche de indocumentados que entraram no país desde outubro do ano passado, que já passa dos 60 mil, afirmam que o governo federal está tratando os processos judiciais como ‘caso de segurança nacional’. Com esse rótulo, a justiça não pode aceitar fiança o que estaria provocando a superpopulação no abrigo de Artesia, New Mexico.

O rótulo de ‘segurança nacional’ foi muito usado durante a era Bush quando o então procurador geral, John Ashcroft, em 2003, decidiu por enquadrar os imigrantes que atravessam a fronteira com o mesmo rigor que os terroristas.

Em uma audiência na terça-feira (5), advogados do Departamento de Segurança Nacional (Departament of Homeland Security, em inglês) usaram o mesmo argumento (ameaça para a segurança nacioanl) para evitar que a justiça aceitasse fiança para liberar uma mulher e seu filho do abrigo em Artesia.

“A crise da imigração em massa de indocumentados é uma ameaça à segurança nacional e pode encorajar o tráfico humano”, disse uma advogada em defesa da União. O argumento foi aceito e, mãe e filho, mantidos no abrigo no New Mexico.

A decisão dos advogados da União em usar o argumento de Ashcroft de 2003 para impedir que mulheres e crianças sejam liberadas do abrigo em Artesia, tem provocado críticas em massa por parte dos ativistas dos direitos pró-imigrantes. “Manter mulheres e crianças ‘presas’em um abrigo provisório só porque o governo teme pela entrada de mais ilegais é uma arbitrariedade da União”, afirmou a ativistas, Judy Rabinbovitz, diretora da ONG, American Civil Liberties Union’s Immigrants’Rights Project.