Criminoso sexual choca cidade ao fingir ser estudante nos EUA

0
795

Um criminoso sexual de 29 anos chocou os moradores de El Mirage, no Arizona (EUA), ao se fazer passar por um estudante, informou o jornal “The New York Times”.

Neil H. Rodreick fingia ser um estudante de 17 anos chamado Casey Price, e freqüentava uma escola pública da cidade.

De acordo com o “Times”, a polícia descobriu que, anteriormente, Rodreick havia se matriculado em uma escola da cidade vizinha Surprise como um estudante de 12 anos.

Polícia do Condado de Yavapai (EUA)/Reprodução

Rodreick (29), que fingia ter 17 anos para atrair vítimas em escolas
Um homem que havia se identificado como seu tio o matriculou na escola de El Mirage e chegou a enviar e-mails para professores para falar a respeito de trabalhos de casa.
Rodreick foi detido, e seus vizinhos e colegas ficaram chocados ao descobrir que ele usava uma identidade falsa, e era na verdade um homem adulto condenado por crimes sexuais.

Segundo o jornal, ele disfarçava a idade utilizando maquiagem e lâminas de barbear.

Três homens que se passavam por seu tio, avô e primo, que dividiam uma casa com Rodreick, não eram seus parentes, mas criminosos condenados por crimes na internet.
De acordo com informações do “Times”, Rodreick vinha sendo investigado pela polícia de três Estados americanos. Ele havia sido condenado por crimes sexuais depois que uma grande quantidade de material de pornografia infantil foi encontrado em seu computador.

Após a condenação, cumpriu sete anos de pena em uma prisão em Oklahoma por fazer propostas indecentes a dois garotos de seis anos de idade.

Disfarce

Depois de ser solto, em 2002, ele conseguiu convencer Lonnie Stiffler, 61, e Robert J. Snow, 43, que cometiam abusos contra crianças na internet, de que ele era um adolescente.

Em 2005, ele pediu que os dois homens o levassem de Oklahoma para morar com eles no Arizona, onde Stiffler fingia ser avô de Rodreick e Snow fingia ser seu tio.

Ambos faziam sexo freqüentemente com Rodreick, segundo informações da polícia.

Um terceiro homem que vivia na casa, Brian Nellis, 34, também era um criminoso sexual e, segundo a polícia, ajudava Rodreick –que conhecera na cadeia– no disfarce de adolescente.

Rodreick se fazia passar por um adolescente há ao menos dois anos, registrando-se em quatro escolas do Arizona até que autoridades escolares de Chino Valley chamaram a polícia.

De acordo com a polícia, não houve denúncias de abusos sexuais contra estudantes das escolas que Rodreick havia freqüentado. Autoridades tentam determinar, com a ajuda de vídeos confiscados na casa onde o grupo vivia, se eles fizeram vítimas nas escolas.

Segundo o “Times”, que cita a tia de Rodreick, Jan Bautista, ele sofreu abusos sexuais por parte de vizinhos durante a infância em Oklahoma.