Crise aérea afeta conexões entre os EUA e o mundo

0
790

New York, por exemplo, poderá perder vôos diretos com 25 cidades

New York perderá conexões diretas com pelo menos 25 cidades do mundo a partir de setembro, devido aos problemas enfrentados pelo setor aéreo americano. O diagnóstico foi dado através de um relatório da firma que compara ofertas de vôos FareCompare.com, divulgado hoje pela revista “Crain’s”.

De acordo com o estudo, os aeroportos de New York também verão reduzidas nas próximas semanas as freqüências com outros 55 destinos, tanto dos Estados Unidos como de fora do país. Essas reduções se devem, segundo as próprias companhias aéreas, ao encarecimento do combustível de aviação e à crise da economia americana, que gerou uma diminuição do número de passageiros.

A revista nova-iorquina de negócios “Crain’s” assinala que entre as companhias aéreas afetadas pela diminuição estão a Delta, a Continental e a American Airlines.

Assim, uma vez aplicados esses cortes, a partir de setembro será impossível por exemplo voar diretamente de New York para Tucson, no Arizona, ou para destinos turísticos famosos como Sarasota (Flórida) e San Juan (Porto Rico).

Também não se poderá voar sem escalas de New York para 12 cidades de fora dos EUA, entre elas Bangcoc (Tailândia), Barranquilla (Colômbia), Palermo (Itália) e Colônia (Alemanha).