Custo de processo de legalização pode passar de 15 mil dólares

0
816

Segundo especialistas, valor pode inviabilizar regularização de muitos indocumentado

Poucas semanas após o início do debate imigratório, deflagrado pela reunião entre o presidente Barack Obama e parlamentares democratas e republicanos, a questão que domina o pensamento dos indocumentados agora é quanto custará o processo de legalização. Especialistas acreditam que a regularização do status imigratório pode representar um investimento superior a 15 mil dólares por pessoa.

Segundo José Pertierra, membro da Associação Americana de Advogados de Imigração (AILA, na sigla em inglês), explica que o custo dependerá do tipo de reforma que será aprovada. “Mas no final das contas, todos podem ganhar: os imigrantes, que sairão das sombras, e o próprio governo, já que certamente ganhará milhões de dólares com a medida”, afirmou o advogado.

Vale lembrar que no projeto de lei debatido em 2007, que acabou fracassando no Congresso, os legisladores estimaram que as multas de legalização chegariam a 13.500 dólares. No entanto, com o aumento das taxas imigratórias, o valor deve ser maior agora. “Realmente trata-se de muito dinheiro e os prováveis beneficiados com a reforma são indocumentados, que ganham pouco”, argumentou Pertierra, lembrando de gastos adicionais, como honorários advocatícios, por exemplo.

Supondo que o Congreso aprove a reforma nos mesmos moldes daquele projeto debatido em 2007, cada indocumentado que se qualifique para a legalização deve pagar o seguinte:

Até 13.500 dólares de multa inicial para dar o início ao processo;
1,010 dólares pelo Formulário I-485, para residência;
340 dólares pelo Formulário I-765, para permissão de trabalho;
80 dólares, para exames médicos e impressões digitais;
595 dólares pelo Formulário N-400, a petição de Cidadania.

Se confirmada a estimativa de que 10 a 12 milhões de indocumentados vivem nos Estados Unidos, o serviço de imigração receberia até 155 bilhões de dólares – um valor nada desprezível, ainda mais em se tratando de tempos de crise econômica.

Nesse sentido, os advogados de imigração advertem os imigrantes que nada deve ser pago agora. “O Congresso ainda não aprovou a lei, é bom que se diga. O terreno agora está fértil para aproveitadores, que se valem da ingenuidade alheia”, frisou Pertierra.