Declaração de líder francês revolta imigrantes

0
506

A França está em choque com as declarações de Jean-Marie Le Pen, presidente honorário da Frente Nacional (FN), segundo o qual o vírus fatal ebola pode ajudar a “resolver” o problema do crescimento demográfico e da imigração. Ele fez essa declaração longe dos microfones, mas jornalistas que estavam presentes ouviram a declaração de Le Pen.

Ao comentar sobre o risco da França sofrer um colapso imigratório, o histórico líder da extrema direita do país e atual candidato às eleições européias do próximo fim de semana disparou: “O ‘senhor’ ebola pode ajudar a resolver isso em três meses”. A declaração recebeu duras condenações, principalmente por membros do governo da França.

O ebola é um vírus altamente contagioso que até agora se manifestou em países africanos. Desde 1976, quando foi identificado, já matou mais de 1600 pessoas.

O porta-voz do Eliseu, Stéphane Le Foll, criticou as palavras de Le Pen e comentou que “isso demonstra que a FN não mudou”. Pesquisas de intenção de voto apontam que a Frente Nacional obterá sucesso nas eleições européias e será capaz de se tornar um dos principais partidos da França. Em março, a esquerda francesa, do presidente François Hollande, sofreu uma derrota nas eleições municipais, perdendo postos em 155 cidades do país.

Pouco depois, já no palco do comício, o presidente honorário da Frente Nacional insistiu que a população francesa corria o risco de “ser substituída por imigrantes”. “No nosso país, e em toda a Europa, estamos a experimentar um fenómeno que é um cataclismo: uma invasão migratória que ainda está só no começo”, alertou.

Le Pen, de 85 anos, é um dos candidatos do partido ao Parlamento Europeu. Anteriores declarações racistas, anti-semitas e de incitamento ao ódio, já lhe valeram condenações judiciais – em 2005.