Histórico

Declarações anti-gay refletem no prefeito de Fort Lauderdale

O ataque às comunidades gays do condado de Broward custou a perda do assento de Jim Naugle no órgão oficial de Turismo

O prefeito de Fort Lauderdale, Jim Naugle, que fez uma série de comentários controversos sobre a homossexualidade perdeu seu assento na diretoria do órgão responsável pela divulgação do Turismo no condado de Broward para os turistas.
Os vereadores do condado acusaram Naugle de colocar em risco um setor que gera muito dinheiro para a região. Eles disseram que o prefeito os forçou a tomar esta decisão ao ignorar os alertas de parar com seus ataques à comunidade gay.

Desde que Naugle fez suas primeiras críticas sobre o sexo entre parceiros homossexuais nos banheiros públicos há dois meses, o Greater Fort Lauderdale Convention & Visitors Bureau tem sido invadido com centenas de e-mails irados enviados por turistas. Alguns disseram ter cancelado suas férias, enquanto outros ameaçaram ir para qualquer outro lugar.
Naugle não se retratou e disse que os vereadores o tiraram do posto por “terem medo de uma minoria ativa”. Ele questionou porque nenhum vereador veio falar com ele antes para ouvir os motivos que o levaram a fazer o que fez. “Muitas vezes é mais fácil tomar esta decisão. Quando você não quer ouvir alguma coisa que não te agrade atire no mensageiro, mas isto não significa que não haja um problema que precisa ser encarado”, redarguiu Naugle.

Ele era o representante de Fort Lauderdale no Conselho de Desenvolvimento de Turismo, mas agora a cidade terá de escolher um substituto, apontado pelos vereadores.

Além do sexo em público, Naugle descreveu os gays como infelizes, contestou o fato da Biblioteca Stonewall estar na cidade por causa de suas coleções de pornografiia homossexual e questionou se o condado deve incentivar o turismo gay por causa de sua alta taxa de infecção na área. Para quem não sabe, Fort Lauderdale detém a segunda maior taxa de pessoas infectadas pelo vírus HIV da nação, atrás apenas de Miami.

Broward divulgou-se para os visitantes gays e lésbicas a partir da década passada e calcula-se que eles sejam responsáveis por quase 1 milhão das 10.4 milhões de pessoas que visitam a região anualmente e gastam cerca US$1bilhão por aqui. O escritório de turismo investirá cerca de US$450,000 este ano fazendo anúncios e outras ações de marketing dirigidas aos turistas gays.