Democratas anunciam ‘forte oposição’ ao projeto de lei E-Verify

0
503

Organizações e legisladores temem que isto se transforme num duro golpe para as pequenas empresas

Os democratas anunciaram nesta quarta-feira que farão uma “forte oposição” ao E-Verify, apresentado na véspera pelos parlamentares republicanos das duas Casas do Congresso.

“Será a maior batalha imigratória a ser travada no Congresso dos Estados Unidos”, comentou José Parra, porta-voz do gabinete do líder Harry Reid (Nevada). Isto não resolve o problema. Aquele que quiser contratar indocumentados continuarão fazendo isto. Em vez de colocar seus trabalhadores na folha de pagamento pagarão em dinheiro. A solução está na reforma imigratória abrangente”, destacou.

Na terça-feira, os congressistas republicanos apresentaram duas iniciativas para obrigar as empresas a se registrarem no programa federal E-Verify, uma ferramenta criada para combater a imigração indocumentada. O sistema consiste em uma gigantesca base de datos administrada pelo Departamento de Cidadania e Serviços de Imigração (USCIS) interconectada com a Administração do Seguro Social (SSA) que permite aos empregadores verificar o status imigratório de seus empregados estrangeiros e assegurar-se de que possuam autorização para trabalhar.

Na Câmara dos Deputados, o projeto foi colocado pelo deputado Lamar Smith (Texas), que preside o Comitê Judiciário. No Senado, foi patrocinado por Charles Grassley (Iowa), presidente do Comitê Judiciário.

Organizações nacionais que defendem os direitos dos imigrantes rechaçaram os projetos de Smith e Grassley, e advertiram que, em caso de aprovação, criminalizarão milhões de trabalhadores sem papéis no país.

Apesar disto, o deputado Luis Gutiérrez (democrata de Illinois), disse que os republicanos dispõem dos votos para aprovar a iniciativa na Câmara e no Senado existem probabilidades de que alguns democratas votem a favor do projeto republicano.

Angela Kelley, vice-presidente de política e advogacia imigratória do Center for American Progress, classificou de “contraproducente” o projeto e advertiu que, se aprovado, “incrementará o déficit fiscal” e ameaça “romper a espinha dorsal das pequenas empresas”.

O deputado Gutiérrez pediu ao presidente Barack Obama que “vete esta lei”, caso seja aprovada pelo Congresso, e insistiu na necessidade urgente de aprovar a reforma imigratória. “Estamos esperando que os republicanos nos chamem para trabalharmos juntos em um projeto bipartidária”, convocou. Os republicanos deram mostras de não estar dispostos a aprovar nenhuma lei que possa parecer anistia para os indocumentados.