Depois das boas notícias, uma tragédia sobre mineradores

0
741

Parentes comemoravam pensando que 12 homens estavam vivos, mas na verdade houve apenas um sobrevivente

Poucas horas após os membros das famílias terem recebido a notícia de que 12 mineradores de carvão haviam sido encontrados vivos, diretores da empresa anunciaram esta manhã que, na verdade, apenas um deles sobreviveu à explosão ocorrida na segunda-feira (02/01) pela manhã, em Tallmansville, no estado de West Virginia, EUA.

A comemoração começou com a chegada da notícia de que as equipes de resgate haviam encontrado 12 homens perto da entrada da mina, 41 horas depois da explosão fatal. Mas três horas mais tarde, as famílias ficaram sabendo que apenas uma pessoa, Ronald McCloy, foi transportado com vida para o hospital, e encontra-se em estado crítico.

Ben Hatfield, presidente da International Coal Group, disse às famílias que se reuniram na Igreja Batista de Sago que “houve uma falha de comunicação, que a informação inicial estava incorreta e apenas um dos mineradores sobreviveu”, contou John Groves, irmão de Jerry Groves, uma das vítimas.

A partir daí, o caos tomou conta da igreja e iniciou-se uma discussão. Hatfield afirmou que a informação errada espalhou-se rapidamente quando as pessoas ouviram as ligações de telefones celulares entre as equipes de resgate no local e o comando central do resgate. Na realidade, as equipes de resgate confirmaram ter encontrado 12 mineradores e estavam checando seus sinais vitais, confirmou.

“O relatório inicial da equipe de resgate para o comando central indicava vários sobreviventes”, comentou Hatfield durante uma coletiva de imprensa. “Aquela informação espalhou-se como um rastilho de pólvora, porque veio do comando central. Rapidamente saiu do controle.” Hatfield disse que a companhia esperava corrigir a informação até que tivesse mais informações sobre o resgate.

O corpo do 13º minerador foi encontrado no início da noite por aqueles que trabalhavano no resgate, indicando que provavelmente outros homens também pudessem estar mortos. Mas pouco antes da meia-noite,os gritos de júbilo dos membros da equipe de resgate perto da entrada da mina sinalizaram que o pessoal do resgate que estava 260 pés abaixo do nível do solo haviam encontrado os mineradores remanescentes.

“Eles estão vivos! Eles estão vivos!”, exultaram membros das famílias, ao mesmo tempo em que rumavam para a Igreja Batista Sago, onde haviam juntado-se para uma vigília de 41 angustiantes horas desde a notícia de que seus parentes estavam presos na mina de carvão.

Com a notícia equivocada, houve o badalar dos sinos da igreja e abraços de alívio e de júbilo, além de entoações de cânticos religiosos em agradecimento a Deus.

Na manhã da terça-feira (03/01), equipes de resgate recuperaram o corpo de um minerador depois de intensos esforços em meio a perigosas emissões de monóxido de carbono. A preocupante notícia da primeira fatalidade e a nuvem de mistério sobre o destino dos desaparecidos inquietou os diretores da companhia e angustiou os parentes num turbilhão de emoções ao cair da tarde.

“É um pesadelo;é a pior notícia que poderíamos ter trazido”, reconheceu Hatfield, cuja voz ficou entrecortada pelos soluços quando ele repetidamente descrevia a explosão. “Estamos devastados, assim como as famílias.”

Relatando evidências de que uma poderosa explosão parecia ter sido detonada numa área abandonada no final da mina, a equipe de resgate também encontrou o equipamento que transportou os mineradores desaparecidos. Mas o ônibus de metal estava vazio e não mostrava sinais de danos causados pela explosão, indicando que os homens devem ter tentado fugir da explosão “por sua própria conta”, comentou Hatfield.

Vários parentes desmaiaram quando foram informados da morte do minerador pelos diretores da companhia e pelo governador de West Virginia, Joe Manchin, durante um encontro no início da tarde dentro da Igreja Batista Sago. Outros saíram correndo para identificar o minerador morto, cada um deles temendo que fosse seu parente.

A equipe de resgate concluiu que os mineradores devem ter tentado fazer o caminho para sair da mina. Mas acredita-se que alguém pode ter-se confundido e ido para para uma antiga zona de trabalho, numa área abandonada.

Bolsas de ar coletadas pelos sensores baixados através de um buraco cavado pela equipe de resgate revelaram níveis letais de monóxido de carbono. O gás tóxico exalado pela força da explosão e a falha no sistema de ventilação na parte distante da mina contribuíram para a tragédia.

Os mineradores tentaram encontrar os desaparecidos, mas sem sucesso. Alguns moradores do condado de Upshur que haviam trabalhado na mina recentemente disseram estar preocupados com o padrão de segurança da mina de Sago.

As violações das normas federais de saúde e segurança da mina praticamente dobraram no último ano, subindo de 68 notificações em 2004 para 181 em 2005. Quase metade referiam-se aos sérios problemas de segurança da mina. As deficiências incluíam problemas com a ventilação e o suporte do teto.